Publicado 08 de Setembro de 2021 - 8h42

Por Eduardo Rodrigues

O Comitê de Estabilidade Financeira (Comef) do Banco Central (BC) avaliou que a política macroprudencial atual segue adequada, sem necessidade de ajustes no curto prazo. Nesse sentido, não há mudança no cronograma de retorno da parcela do Adicional de Conservação de Capital Principal (ACPConservação) dos bancos - iniciado em abril com conclusão prevista para março de 2022.

"Essa política é compatível com o ritmo de crescimento do crédito e com a expectativa de continuidade desse movimento. Não obstante, o dinamismo de diversas modalidades de crédito segue sendo monitorado de perto pelo BC. As informações disponíveis indicam que os preços dos ativos continuam se comportando em linha com os fundamentos econômicos", destacou a ata do último encontro do Comef divulgada nesta quarta-feira, 8, pelo BC.

Em reunião realizada no dia 31 de agosto, o colegiado manteve o Adicional Contracíclico de Capital Principal (ACCPBrasil) em 0%. Como aumentos nesse porcentual só entram em vigor um ano após a deliberação do Comef, o ACCPBrasil seguirá em 0% nas próximas reuniões trimestrais.

"A decisão considerou as condições atuais, os preços dos ativos e as expectativas quanto ao comportamento do mercado de crédito", completou o documento.

O BC lembrou ainda na ata que mantém o monitoramento do crescimento do crédito e avaliou que a incerteza sobre a solvência de firmas e famílias se reduziu com a materialização recente de perdas "apenas modestas".

"O Comef segue recomendando que as instituições financeiras mantenham prudência na política de gestão de capital. É importante que, ao longo de 2021 e 2022, as IFs destinem os lucros de forma conservadora e alinhada às incertezas presentes no atual momento econômico", completou a autoridade monetária.

Escrito por:

Eduardo Rodrigues