Publicado 06 de Setembro de 2021 - 13h01

Por André Marinho

O comando da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) reforçou nesta quarta-feira o argumento da Organização Mundial da Saúde (OMS) de que, antes de começar a aplicar doses de reforços de vacinas contra o coronavírus, a prioridade da comunidade internacional deve ser garantir o acesso aos imunizantes em todos os países.

Em coletiva de imprensa, o diretor assistente da entidade, Jarbas Barbosa, disse que não há "evidências fortes" da eficácia de aplicação de terceiras doses de profiláticos que, no momento, demandam apenas duas. Barbosa descreveu o debate como uma questão "ética".

A diretora da Opas, Carissa Etienne, reiterou que, como a oferta global ainda é limitada, a melhor maneira de assegurar que países pobres possam vacinar a população é por meio de doações.

Ivermectina

O chefe de Unidade de Informação de Saúde e Avaliação de Risco da OPAS, Enrique Perez, comentou que os estudos randomizados e controlados conduzidos até o momento não identificaram impacto da ivermectina na redução da mortalidade por covid-19. Por isso, a entidade não recomenda o uso do medicamento no tratamento da doença.

Escrito por:

André Marinho