Publicado 19 de Agosto de 2021 - 11h04

Por Eduardo Rodrigues

O ministro da Economia, Paulo Guedes, avaliou nesta quinta-feira que a pandemia de covid-19 desnudou o déficit social e o vácuo político de ações na chamada primeira infância. Ele defendeu um compromisso de todos os atores políticos - de direita e de esquerda - com medidas de proteção às crianças brasileiras e garantiu que essas ações terão prioridade no orçamento federal.

"Estamos sempre conversando com governadores sobre finanças, orçamento, produtividade, e a importância da educação. Precisamos ter um compromisso com as próximas gerações. Estamos aderindo a esse compromisso que todos temos que ter, acima dos partidos, da direita e da esquerda, acima de qualquer desavença entre contemporâneos", afirmou o ministro, em seminário do Pacto Nacional pela Primeira Infância, realizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Segundo Guedes, a adesão do governo federal ao Pacto Nacional pela Primeira Infância dará condições para que Estados e municípios possam executar de foram descentralizada as ações propostas com recursos da União.

"Os investimentos mais rentáveis que uma sociedade pode fazer são exatamente os investimentos de zero a seis anos, levando a um melhor ambiente cognitivo, social e de proteção para a formação do indivíduo. Temos que fazer um esforço maior dos poderes políticos e da sociedade civil, por duas gerações pelo menos, mas que não poderá ser descuidado jamais", completou o ministro.

Escrito por:

Eduardo Rodrigues