Publicado 19 de Agosto de 2021 - 8h50

Por Estadão Conteúdo

Convidado da organização, o britânico Andy Murray, ex-número 1 do mundo, passou pela estreia no Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, e na quarta-feira caiu na segunda rodada para o polonês Hubert Hurkacz. Questionado sobre os feitos do sérvio Novak Djokovic, que pode terminar pela sétima vez uma temporada como o líder do ranking, foi só elogios ao atual primeiro colocado da lista da ATP.

"O que ele fez é algo incrível e impressionante. Além disso, nos outros anos ele terminou em segundo ou terceiro lugar e ganhando Grand Slams. Ganhar um torneio já é difícil, mas para ser número 1 você tem que ganhar cinco ou seis torneios consecutivos e isso é extremamente complexo", afirmou Murray, que tem três títulos de Grand Slam e liderou o ranking por 41 semanas.

"Não há muito o que dizer sobre ele e também sobre os demais do Big 3. É incrível porque eles dominaram o esporte por amor ao jogo", complementou o escocês, que também falou sobre as apostas para o futuro e colocou o russo Daniil Medvedev como principal candidato a ser o próximo número 1 do mundo.

Murray também analisou a condição das quadras de Cincinnati, com o mesmo piso rápido que será usado no US Open, Grand Slam em Nova York que começará no próximo dia 30. "As quadras e as bolas estão bastante rápidas. Obviamente o fato de jogar à noite desacelera um pouco, mas acho que é uma pequena vantagem para mim", comentou o atual número 105 do mundo.

Escrito por:

Estadão Conteúdo