Publicado 17 de Agosto de 2021 - 17h08

Por Lorenna Rodrigues e Fabrício de Castro

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta terça-feira que a autoridade monetária perseguirá a meta de inflação e fará "o que for preciso" para isso. Questionado sobre o comprometimento do BC com a meta de inflação em evento virtual do Bradesco BBI, Campos Neto disse que o maior impacto para a economia é ter inflação alta e expectativas desancoradas. "Queremos levar inflação para a meta, é a melhor forma da economia crescer de maneira sustentável", acrescentou.

Campos Neto disse ainda que os modelos da autoridade monetária mostram que, se os juros forem aumentados acima de certo nível, a inflação acabará abaixo da meta. "É necessário olhar os dados disponíveis a cada encontro (do Copom)", completou.

No evento, o presidente do BC ressaltou que há aumento de preços em insumos como metais e semicondutores, mas disse que a inflação no Brasil e no mundo é mais afetada pela demanda reprimida no período da pandemia. "A (questão da) oferta é muito menor do que o choque pelo lado da demanda", concluiu.

Escrito por:

Lorenna Rodrigues e Fabrício de Castro