Publicado 17 de Agosto de 2021 - 15h42

Por Daniel Weterman / AE

O auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Marques drante depoimento à CPI da Covid

Divulgação

O auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Marques drante depoimento à CPI da Covid

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid encerrou a reunião após o depoimento do auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Marques.

Marques assumiu a autoria de um documento interno apontando suposta supernotificação de mortes por covid-19 no Brasil, usado pelo presidente Jair Bolsonaro para questionar o número de óbitos. Ele admitiu que as informações não eram oficiais e que não apontavam para conclusões sustentadas.

O auditor relatou que seu pai, Ricardo Silva Marques, foi quem encaminhou o levantamento ao presidente. Além disso, o depoente indicou que o documento foi adulterado antes de ser usado por Bolsonaro. Para integrantes da CPI, o chefe do Planalto cometeu crime ao usar o documento modificado atribuindo falsamente um caráter oficial ao levantamento paralelo.

Escrito por:

Daniel Weterman / AE