Publicado 17 de Agosto de 2021 - 15h28

Por Estadão Conteúdo

A partir de 24 de fevereiro de 2022 começam na China os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim-2022. Pensando na principal competição do ciclo olímpico, nesta quarta-feira, às 10 horas, os atletas da seleção brasileira de bobsled estarão reunidos no Centro de Treinamento Mauro Chekin, em São Caetano do Sul (SP), para treinamentos e para a assinatura do contrato de liberação de espaço para a instalação da primeira pista fixa de "push" (empurrada) do país.

O local servirá de preparação para a seleção brasileira de bobsled, que esteve nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002, 2006, 2014 e 2018, e também para inclusão, formação e desenvolvimento de novos atletas. Piloto da equipe, Edson Bindilatti é o único que esteve em todas essas quatro edições e pode chegar à quinta, em 2022. Ele é o recordista do país em participações em Jogos Olímpicos de Inverno, ao lado de Jaqueline Mourão.

A pista fixa que será utilizada para treinos de push ficará localizada no centro de treinamento, em local próximo ao que hoje está instalada a pista móvel usada para a mesma finalidade. Para Edson Bindilatti, a construção da nova estrutura trará enormes benefícios à equipe.

"Nosso time já vem apresentando uma evolução muito grande nas últimas temporadas. Na última edição dos Jogos, tivemos um push melhor que o da China, que havia feito um grande investimento, e que outros países. Nossos resultados também vêm melhorando muito. Tenho certeza que esta pista vai nos proporcionar uma evolução ainda maior e ajudará a formar novos atletas de bobsled", comentou.

Além de Edson Bindilatti, integram a equipe brasileira os atletas: Edson Martins, Erick Vianna, Rafael Souza, Jefferson Sabino e Luís Henrique Bacca Gonçalves. Gustavo Ferreira, atleta sub-23, também faz parte do time.

Escrito por:

Estadão Conteúdo