Publicado 09 de Agosto de 2021 - 16h08

Por Estadão Conteúdo

Após o frustrante quarto lugar na Olimpíada de Tóquio, a seleção brasileira masculina de vôlei desembarcou em São Paulo nesta segunda-feira. A equipe foca sua atenção para o Campeonato Sul-Americano, disputado no início de setembro, mas já pensa nos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024.

Renan Dal Zotto e Bruninho falaram sobre o futuro da seleção. O treinador afirmou que já conversou com a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e que deve seguir no cargo. "Já tive a oportunidade de conversar com a CBV. A princípio, tudo ok. Vamos dar continuidade", avisou o técnico.

Já o experiente levantador, de 35 anos, manifestou sua vontade de continuar. Após a derrota para a Argentina na disputa pelo bronze, ele havia dito que era cedo pra fazer uma projeção sobre seu futuro na seleção. Mas garantiu estar empolgado e com "muita vontade" de conquistar a sua quarta medalha olímpica em Paris.

"Estou empolgado com o que tenho pela frente. Em setembro vou para a Itália, tenho contrato com o Modena. Faltam três anos para a próxima Olimpíada. Quero no dia a dia me manter no alto nível, tentar melhorar cada vez mais, evoluir. Vou deixar isso aí nas mãos do Renan que é o chefe. Por mim, eu tenho muita vontade ainda de conquistar mais uma medalha olímpica", assegurou o atleta, ouro na Rio-2016, e prata em Pequim-2008 e Londres-2012.

Um dos destaques do Brasil em Tóquio, Lucarelli também confirmou o desejo de seguir na equipe. O ponteiro de 29 anos vai defender o Volley Lube, da Itália, na próxima temporada.

"Meus planos continuam na seleção. Eu me sinto muito bem aqui. Espero poder contribuir, que isso é o mais importante. O momento que eu não estiver mais contribuindo dentro de quadra é o momento de parar, mas ainda acho que tenho coisas para doar para a seleção. Enquanto isso for possível, vou continuar representando o país", avaliou.

O central Lucão, de 35 anos, é outro atleta que já havia mostrado interesse em continuar. Já o oposto Wallace avisara que seu ciclo na seleção se encerrou após a participação em Tóquio. No Sul-Americano, parte do grupo que disputou a Olimpíada vai ganhar um descanso, caso do ponteiro Leal.

Renan pode usar a competição para dar rodagem a jovens jogadores pensando na renovação da equipe. O elenco se reapresenta na próxima semana no Centro de Treinamento da CBV, em Saquarema, no Rio de Janeiro, para iniciar a preparação para o torneio que dá vaga no Mundial aos dois primeiros colocados. A competição será disputada entre 1º e 5 de setembro, em Brasília.

"Vamos ter o Sul-Americano daqui a três semanas. Já nos apresentaremos em Saquarema na semana que vem com um grupo bastante diferente. Alguns precisam descansar, outros precisam se recuperar fisicamente. Leal já estava planejado voltar a Cuba para documentações. Então não vai ser possível ele jogar o Sul-Americano. Wallace já deu sinais de que estaria chegando no momento de repensar", resumiu Renan.

Escrito por:

Estadão Conteúdo