Publicado 09 de Agosto de 2021 - 12h23

Por Redação

Atenas despertou nesta quarta-feira, 4, com uma fumaça densa e o cheiro acre devido ao incêndio iniciado na véspera ao norte da capital grega, aos pés do Monte Parnitha, e que os bombeiros esperam controlar "nas próximas horas". Enquanto o fogo recua na região da capital da Grécia, as temperaturas extremas alimentaram outro incêndio em uma ilha próxima a Atenas. O país enfrenta a onda de calor mais severa dos últimos 30 anos.

Várias casas foram incendiadas, e dezenas de lojas, tavernas e outros imóveis sofreram danos significativos na terça-feira à tarde e durante a noite em Varympompi, 30 quilômetros a noroeste de Atenas, de acordo com estimativas iniciais das autoridades.

Hoje cedo, quando o primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis visitou Varympompi, a localidade estava sem seus moradores, observou um cinegrafista da agência AFP. Mais de 300 pessoas foram evacuadas desta cidade e de outras duas aldeias vizinhas. "Graças a Deus não tivemos nenhuma perda de vidas humanas até agora", disse o primeiro-ministro após a inspeção pela cidade.

Na manhã desta quarta-feira, "a situação melhorou, e esperamos que o incêndio esteja controlado nas próximas horas", anunciou a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros. Mais de 500 bombeiros em cinco helicópteros e dezenas de bombardeiros de água continuavam trabalhando nesta manhã.

Ilha de Evia queima

O incêndio começou na tarde de ontem, em meio a uma onda de calor excepcional em toda Grécia, com temperaturas localizadas que passam de 43°C, desde o final de semana. O incêndio próximo a Atenas diminui, mas a onda de calor alimenta uma grande queimada na ilha de Evia, a 70 km da capital grega.

Depois do Monte Pentélico na semana passada, foi o Monte Parnitha, a segunda das três colinas que rodeiam Atenas, que ardeu em chamas ontem, espalhando cinzas e fumaça sobre a capital grega.

Quase 200 cavalos que estavam nos centros equestres da área foram transferidos ilesos, informou a Confederação de Equitação Grega. A polícia disse ter ajudado quase 70 pessoas que estavam presas em suas casas, em comunidades cercadas pelo fogo.

Varympompi fica próximo ao antigo palácio real de Tatoi, cujas preciosas obras foram guardadas por precaução. Até terça-feira, a Grécia enfrentou quase 80 incêndios, incluindo 40 ainda ativos, de acordo com o vice-ministro da Proteção Civil, Nikos Hardalias.

A Europa enfrenta um verão de clima extremo, de fortes inundações no norte e intensas ondas de calor e incêndios que envolvem várias áreas do Mediterrâneo, como a vizinha Turquia, que vem lutando contra incêndios desde a semana passada. (Com agências internacionais).

Escrito por:

Redação