Publicado 08 de Agosto de 2021 - 6h08

Por especial para a AE

Por Toni Assis

Uma campanha sem brilho e com oscilação constante. Assim pode ser definido o desempenho de Santos e Corinthians, que se enfrentam neste domingo, às 16 horas, na Vila Belmiro, atrás de uma vitória que possa marcar o início de uma subida sem escalas na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro.

Das duas equipes, o Corinthians de Sylvinho é quem se encontra numa situação mais complicada. Sem mais nenhum campeonato para disputar, o time do Parque São Jorge soma 17 pontos, vem de derrota para o Flamengo e, em caso de novo revés, pode ver uma aproximação perigosa com a turma que briga para fugir do rebaixamento.

O Santos ainda divide as suas atenções com a Copa Sul-Americana e também a Copa do Brasil. Mas no que diz respeito ao Nacional, a situação é bem semelhante. A equipe da Vila Belmiro tem dois pontos a mais que o rival deste domingo e precisa vencer para não descolar cada vez mais dos quatro primeiros colocados.

Após a partida contra o Juazeirense, onde conseguiu a vaga para a sequência da Copa do Brasil, o técnico Fernando Diniz quer avaliar a situação física do time. Ele poupou boa parte dos titulares já pensando no clássico. "O campeonato é muito equilibrado e temos que confiar no planejamento que estamos fazendo. O time vem apresentando bons resultados e cumprindo seus objetivos", afirmou.

O técnico terá um desfalque de peso. Marinho está com um hematoma na coxa esquerda e não disputará o clássico deste domingo. O atacante fará testes diárias para saber a gravidade da lesão e não tem data definida para o retorno. Pode até perder o duelo de ida com o Libertad pelas quartas de final da Copa sul-americana, no meio de semana.

No Corinthians, o técnico Sylvinho teve a semana livre para ajustar a equipe. Ele fez um trabalho técnico com o grupo e deu ênfase às jogadas de bola parada e cobranças de falta. O elenco foi separado em dois grupos. Enquanto os meias e atacantes trabalharam a finalização, os defensores treinaram o posicionamento da defesa.

O meia Renato Augusto já está com a sua situação regularizada no BID (Boletim Informativo Diário) mas ainda não deve reunir condições de jogo. "O Renato é um grande jogador e vai agregar muito ao time, mas precisam de tempo para se adaptar. Temos que ter um pouco de cuidado."

Com o time praticamente definido, a tendência é que Luan continue ficando como opção no banco de reservas. Assim, o ataque deverá ter Mosquito, Adson e Jô.

Mas além da oscilação Brasileiro, Santos e Corinthians tem um outro desafio a cumprir; melhorar o desempenho em clássicos estaduais. A temporada 2021 vem mostrando que as duas equipes vem deixando muito a desejar até aqui.

Somando os cinco jogos que fez contra São Paulo, Palmeiras e Corinthians, os santistas perderam quatro e venceram apenas um. Do outro lado, o desempenho também não é bom. Nos seis duelos que teve pela frente, os corintianos sofreram duas derrotas, empataram três vezes e só obtiveram um triunfo.

Muito desse retrospecto negativo reflete a atuação apagada das equipes no Estadual. O Santos perdeu os três clássicos que fez na fase de grupos e não se classificou para as quartas de final. Já no Brasileiro, nos dois confrontos que fez, o aproveitamento foi de 50%: vitória de 2 a 0 sobre o São Paulo e revés de 3 a 2 para o Palmeiras.

O histórico corintiano no Estadual também não é bom. O time só venceu o Santos na Vila. Depois, empatou com o São Paulo e perdeu duas vezes para o Palmeiras. Já no Nacional, a equipe de Sylvinho empatou os dois clássicos que disputou (0 a 0 com São Paulo e 1 a 1 diante do Palmeiras).

Escrito por:

especial para a AE Toni Assis