Publicado 07 de Agosto de 2021 - 23h53

Por Estadão Conteúdo

O São Paulo conseguiu respirar um pouco no Brasileirão ao vencer o Athletico-PR por 2 a 1 neste sábado, mas as manifestações do técnico Hernán Crespo após a partida não puderam se limitar apenas ao alívio de voltar a vencer após três jogos de jejum na competição nacional. Diante das perguntas feitas na coletiva de imprensa, o treinador questionou o fato de seu time ter tido duas expulsões nos dois últimos jogos e ainda teve que falar sobre as declarações polêmicas do lateral-direito Daniel Alves.

No jogo deste final de semana, o meio-campista Benítez, que estava como opção no banco de reservas, foi expulso ao chutar a bola na marca de escanteio, quando Terans se preparava para cobrar para o Athletico. Crespo questionou o critério do árbitro Jean Pierre de Lima Gonçalves e citou um lance que acredita que poderia ter rendido uma expulsão para o lado athleticano.

"Gostaria de perguntar ao Benítez o que ele fez de tão grave para receber o vermelho. Eu vi no segundo tempo uma atitude dentro de campo do capitão do Athletico com o árbitro, cara a cara, pegando a mão para não receber cartão, e o árbitro tomou uma decisão inversa. Imagino que o que o Benítez fez foi muito mais grave que um cara a cara com o árbitro, pegar a mão. Evidentemente o árbitro acreditou que isso era muito mais grave. Vou falar com ele, ver na TV, para saber o que aconteceu realmente", disse o argentino.

Ao falar sobre o assunto, o treinador são-paulino também mostrou que ainda está incomodado com a expulsão de Rigoni no empate sem gols com o Palmeiras, em clássico disputado na rodada passada. "São situações eventuais, não acontecem normalmente. Aconteceu. Não quero justificar o Rigoni, mas você sabe bem os motivos e todo o Brasil sabe os motivos", afirmou.

Durante a coletiva, Crespo também foi questionado sobre as declarações dadas por Daniel Alves após o ouro olímpico conquistado pelo jogador são-paulino neste sábado, em Tóquio, com a seleção brasileira. Titular na final contra a Espanha, o lateral se defendeu das críticas que vem recebendo por ter ido disputar a Olimpíada enquanto o São Paulo briga contra o rebaixamento no Brasileirão e faz jogos decisivos na Copa do Brasil e na Copa Libertadores.

"Não acho que abandonei o São Paulo, muito pelo contrário, estou representando o São Paulo também", disse o jogador em entrevista ao site UOL. "O São Paulo falhou muito comigo, e era um momento que eu tinha de escolher pelo São Paulo e por defender meu país, e sempre vou representar meu país e por tabela representar o time", completou Dani, que também lembrou a dívida superior a R$ 10 milhões que o clube tem com ele.

Sem alimentar a polêmica, Crespo preferiu não se aprofundar no assunto e disse que vai conversar pessoalmente com o jogador. "Situações pessoais e contratuais eu não quero entrar. Para mim, o Daniel é um grande jogador e vou saber nas próximas horas qual vai ser a programação de volta da seleção brasileira. Depois falarei com ele", disse o treinador.

O São Paulo joga nesta terça-feira, a partir das 21h30, o primeiro jogo das quartas de final da Libertadores, contra o Palmeiras, no Morumbi, e a presença de Daniel Alves é incerta. "Vamos ver a situação que está e vamos escolher o que acredito que seja a melhor opção", limitou-se a dizer Crespo.

Escrito por:

Estadão Conteúdo