Publicado 07 de Agosto de 2021 - 10h23

Por Estadão Conteúdo

Rio de Janeiro - Corredoras dos Estados Unidos Tianna Bartoletta, Allyson Felix, English Gardner e  Tori Bowie vencem final do revezamento 4 x 100m  nos Jogos Rio 2016, no  Estádio Olímpico (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Fernando Frazão/Agência Brasil

Rio de Janeiro - Corredoras dos Estados Unidos Tianna Bartoletta, Allyson Felix, English Gardner e Tori Bowie vencem final do revezamento 4 x 100m nos Jogos Rio 2016, no Estádio Olímpico (Fernando Frazão/Agência Brasil)

A norte-americana Allyson Felix aumentou, neste sábado, o seu recorde para 11 medalhas olímpicas, ao integrar o time dos Estados Unidos, vencedor no revezamento 4x400 metros. A velocista ultrapassou a jamaicana Merlene Ottey no quadro de medalhas da história das Olimpíadas e se tornou a mulher mais condecorada.

Felix, de 35 anos, recebeu elogios do lendário Carl Lewis. "35 nunca pareceu tão bom. Que carreira e inspiração incríveis", escreveu o astro nas redes sociais, destacando a carreira da atleta, que soma pódios em cinco edições olímpicas.

Em Atenas-2004, a americana foi prata nos 200 metros, mesmo feito obtido em Pequim-2008, além do ouro nos 4x400 metros. Em Londres-12, mais três vezes no lugar mais alto do pódio: 200m, 4x100 e 4x200. Na Rio-2016, prata nos 400 e ouro no 4x100 e 4x200. Já em Tóquio, além do ouro no revezamento 4x400, ela foi bronze nos 400 metros.

Felix, que deu à luz sua filha, Camryn, por meio de uma cesariana de emergência em 2018, após complicações médicas exigirem que o bebê nascesse com 32 semanas, soma também 17 pódios em Mundiais, sendo 13 ouros, duas pratas e dois bronzes.

Escrito por:

Estadão Conteúdo