Publicado 05 de Agosto de 2021 - 19h43

Por Estadão Conteúdo

A quinta-feira foi de trabalho para a seleção brasileira de futebol masculino, que se prepara para a decisão dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 contra a Espanha, neste sábado, em Yokohama. O técnico André Jardine comandou uma atividade com o grupo completo no Mitsuzawa Football Stadium. Todos os jogadores foram para o campo, sendo que os titulares contra o México fizeram apenas trabalho leve e atividades aeróbicas e de condicionamento. Reservas e não relacionados participaram de uma atividade tática, com foco em finalizações e jogadas de um contra um em campo reduzido.

A novidade ficou por conta do retorno de Matheus Cunha, que trabalha para se recuperar de uma contratura sofrida na partida contra o Egito. O atacante foi o único jogador lesionado durante a campanha dos Jogos Olímpicos. O preparador físico Marcos Seixas comentou o trabalho feito para preservar as condições dos atletas nessa "maratona" de jogos.

"O torneio de futebol dos Jogos Olímpicos é uma maratona física para os atletas. São seis jogos em 17 dias. O jogo contra o México nos exigiu muito fisicamente. Antes de qualquer coisa, precisamos recuperar muito bem nossos jogadores para a decisão. Estamos muito preocupados em dar descanso e promover atividades muito bem controladas, mantendo o nível dos atletas que não estando jogando", comentou Marcos Seixas.

Matheus Cunha realizou um trabalho leve com bola sob os cuidados da fisioterapia e preparação física. O jogador segue evoluindo, mas sua escalação para a final depende de avaliação médica durante os próximos dias.

Nesta sexta-feira, a seleção brasileira fará o último treinamento antes da decisão. O trabalho será no Hodogaya Park Soccer Field.

Escrito por:

Estadão Conteúdo