Publicado 05 de Agosto de 2021 - 11h18

Por Fernanda Nunes

O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, participou pela primeira vez, nesta quinta-feira, da apresentação de um resultado financeiro da empresa a analistas de mercado. Em sua fala, destacou o caráter técnico da sua gestão, como já havia afirmado na mensagem divulgada ontem junto do balanço. Ele ressaltou também o foco no retorno aos acionistas e a continuidade do programa de redução da dívida.

"Seguiremos a trajetória de desalavancagem e retorno financeiro", disse Silva e Luna, demonstrando que dará continuidade às premissas das gestões que o antecederam e priorizaram as finanças da empresa, após um período de crise.

Como consequência nesse modelo de administração, a companhia reduziu seu endividamento bruto a um patamar inferior à meta de US$ 67 bilhões de 2021.

Neste ano ainda, a marca de US$ 60 bilhões deve ser alcançada, reiterou o presidente. Com isso, a Petrobras deve rever sua política de pagamento de dividendos e privilegiar ainda mais o mercado financeiro.

A estatal anunciou na quarta-feira a antecipação da distribuição de dividendos neste ano, de R$ 32 bilhões, cerca de US$ 6 bilhões.

Segundo Silva e Luna, essa decisão é compatível com a geração de caixa e com a sustentabilidade financeira da petrolífera.

Escrito por:

Fernanda Nunes