Publicado 04 de Agosto de 2021 - 7h02

Por Estadão Conteúdo

Invicto há 10 jogos e com somente três gols sofridos no período, o Atlético-MG de forte poderio ofensivo vira a chave e apostará na sua defesa para avançar às quartas de final da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, às 21h30, os mineiros visitam o Bahia, no Estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana (BA), podendo até perder por um gol de diferença.

Será o terceiro encontro entre as equipes nos últimos 11 dias, levando em consideração o embate pelo Brasileirão. O Atlético-MG fez 3 a 0 nos pontos corridos e 2 a 0 na competição de mata-mata. Foi superior e defende a boa vantagem construída no Mineirão.

O técnico Cuca contará com as voltas de Hulk e de Jair, recuperados de problemas clínicos. O atacante foi desfalque no fim de semana por causa de uma conjuntivite, enquanto o volante vinha de luxação no ombro. Ambos trabalharam normalmente e foram relacionados para o jogo desta quarta-feira.

Jair será o xerifão à frente da defesa, que terá Réver e Júnior Alonso na zaga. Nathan Silva, cada dia mais titular sob o comando de Cuca, defendeu o Atlético Goianiense na Copa do Brasil e não poderá entrar em campo.

O treinador vai fazer mais duas mudanças em relação ao time utilizado no último jogo. Por causa do desgaste físico, o argentino Nacho Fernández deve ficar no banco de reservas. Dando lugar, justamente, a Jair. O compatriota Zaracho está fora também. Ele sofreu uma lesão muscular no adutor coxa esquerda diante do Athletico-PR e será substituído por Eduardo Sasha.

O Atlético-MG vem de quatro partidas seguidas sem levar gols e não esconde que jogará retraído em Feira de Santana ao escalar três volantes: Allan e Tchê Tchê completam o meio campo com Jair. A ordem é administrar a vantagem feita em casa e explorar os contragolpes.

Se a defesa do Atlético vem em destaque, o ataque do Bahia passa pelo momento mais conturbado da temporada. São cinco partidas seguidas sem um mísero gol de Gilberto, Rossi e companhia.

Liberado no BID, o meia Lucas Mugni pode ser a aposta do técnico Dado Cavalcanti para buscar uma dura reviravolta. O elenco promete superação e fala em "placar reversível", esquecendo-se do mal momento vivido.

O Bahia mandará o jogo em Feira de Santana por causa de punição do STJD. O clube perdeu um mando de campo em decorrência da confusão generalizada na final da Copa do Nordeste, contra o Ceará, em maio.

Escrito por:

Estadão Conteúdo