Publicado 04 de Agosto de 2021 - 2h14

Por Estadão Conteúdo

Dora Varella e Yndiara Asp, as atletas que representaram o Brasil na final do skate park, não se importaram de ter ficado fora do pódio nos Jogos Olímpicos de Tóquio. As duas skatistas definiram como a "experiência da vida" a participação no Japão da modalidade que fez sua estreia no programa olímpico e valorizaram a "energia incrível" durante a competição.

"Foi a experiência da vida com certeza. Há seis meses não conseguia nem colocar o pé no skate porque me lesionei e estar aqui agora vivenciando tudo isso eu vou guardar pra sempre no meu coração", resumiu em entrevista ao canal SporTV Yndiara, oitava e última colocada na disputa por medalhas nesta quarta-feira.

"É uma energia incrível, não tem nem como descrever", definiu Dora Varella, que terminou na sétima colocação na final. A prova foi dominada pelas japonesas. A medalha de ouro ficou com Sakura Yosuzumi. A compatriota Kokona Hiraki, de apenas 12 anos, levou a prata e a britânica Sky Brown fechou o pódio com o bronze. Outra brasileira que disputou a modalidade, Isadora Pacheco ficou fora da final.

Acostumadas a disputar Campeonatos Mundiais e outros torneios relevantes, as duas esperam que a modalidade ganhe mais adeptos no Brasil após a primeira vez do esporte em Jogos Olímpicos. Vale lembrar que, no skate street, Rayssa Leal, a Fadinha, e Kelvin Hoefler, conquistaram a prata.

"Todo mundo batalhou muito para chegar no seu melhor nível aqui. Foram anos de muito treino, todos os dias, muitas horas de skate. É muito legal ver as meninas em um nível impressionante. O nível subiu muito do skate feminino de uns anos para cá. Espero que muitas meninas comecem a andar de skate", desejou Dora.

"O que tem muito na Olimpíada é a superação e o skate ensina a gente sempre a cair e levantar. Bom que estamos podendo mostrar a essência do skate", reforçou Yndiara.

O pódio não veio no skate Park feminino, mas a medalha, para Dora, foi "poder mostrar como é essa camaradagem do skate e mostrar pro mundo quão incrível o esporte é". Ele fez referência ao fato de as competidoras vibrarem com as manobras das adversárias. Foram comum em Tóquio cenas de skatistas comemorando notas altas de rivais. "Você pode torcer pelos outros que continua vitorioso", emendou ela. "Se fizermos com amor sempre vai valer a pena", afirmou Yndiara.

Nesta quarta-feira à noite (horário de Brasília), começam as provas do park masculino e o Brasil tem boas chances de subir ao pódio com Luizinho Francisco, Pedro Quintas e Pedro Barros.

Escrito por:

Estadão Conteúdo