Publicado 03 de Agosto de 2021 - 13h07

Por Estadão Conteúdo

Em uma disputa por pênaltis, a caminhada entre o centro do gramado e a marca da cal pode parecer uma eternidade. Mas Gabriel Martinelli tirou a missão de letra nesta terça-feira. Responsável por bater um dos pênaltis no duelo entre Brasil e México, pela semifinal dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, o atacante mostrou frieza e categoria para converter a sua cobrança.

Depois de um empate por 0 a 0 no tempo normal, a seleção brasileira venceu por 4 a 1 nas penalidades. Autor de um dos gols, Martinelli lembrou a preparação feita antes da partida.

"No clube, eu já treino pênaltis. Aqui a gente sabe, desde o primeiro dia, que poderia chegar uma hora em que tivéssemos que bater pênaltis. Estou praticando. Graças a Deus conseguimos sair vitoriosos. No momento dá um frio na barriga, naquela caminhada você fica nervoso. Mas tentei manter o pensamento positivo, continuar com a minha batida dos treinos. Graças a Deus deu tudo certo, conseguimos sair com a vitória. Agora estamos na final, vamos em busca desse ouro olímpico", contou.

Depois de começar a partida no banco de reservas, Martinelli foi o primeiro jogador chamado pelo técnico André Jardine para entrar em campo. Começando jogando ou não, o atacante garante que todos estão unidos por um só objetivo: o ouro. E é isso que faz do grupo da seleção brasileira um elenco tão especial.

"É um grupo sensacional. Todos estão no mesmo barco. Como o Daniel Alves falou nos primeiros dias, todos remam no mesmo barco. Não só eu, como todos os meninos que não estão começando as partidas. Está todo mundo preparado. Quando precisarem de nós, estaremos prontos para dar nosso melhor. A motivação é ser campeão para ganhar esse ouro, não só pela gente, pela nossa família, pelo Brasil", finalizou.

A seleção brasileira agora se prepara para a disputa da grande decisão dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, neste sábado, às 8h30 (de Brasília), em Yokohama, contra a Espanha.

Escrito por:

Estadão Conteúdo