Publicado 03 de Agosto de 2021 - 7h20

Por Estadão Conteúdo

Os próximos dias serão de muito estudo e trabalho para a seleção brasileira masculina de vôlei. É o que preveem o técnico Renan Dal Zotto e os jogadores, conscientes de que o time precisará evoluir para poder superar o Comitê Olímpico Russo na quinta-feira, em busca da vaga na final na Olimpíada de Tóquio.

"O time da Rússia chega como forte candidata ao pódio e os dois últimos resultados contra ela não foram favoráveis. Primeira coisa é tirar os estudos da gaveta e pensar no que precisamos fazer de bom. Hoje descansar, estudar bastante e a amanhã treinar em função do time da Rússia", projetou Renan.

Os últimos dois confrontos entre brasileiros e russos não foram felizes para os comandados de Renan. A seleção perdeu por 3 sets a 0 na Liga das Nações, quando o treinador ainda se recuperava das internações por covid-19, e repetiu o placar em nova derrota, já em solo japonês, na fase de grupos. Ainda pela Liga, disputada em junho, o Brasil chegou a vencer os russos também por 3 a 0.

Mas foi a derrota na Olimpíada que causa maior preocupação aos jogadores brasileiros. "No outro jogo contra os russos, faltou a questão da cobertura. Isso fez uma boa diferença. O passe não saiu tão bem, o bloqueio dos caras é grande e nós não podemos enfrentar. Então, a cobertura vai ser primordial para jogar contra eles. Além disso, também temos que bombardear o time eles no saque", afirmou Wallace.

Confiante após a boa vitória brasileira sobre o Japão, pelas quartas de final, Lucarelli cobra mais atenção da equipe, que voltou a oscilar contra os anfitriões, apesar do 3 a 0 no placar.

"Sabemos que os erros que comentemos são possíveis de evitar. Temos que caprichar em algumas coisas e fazer as escolhas certas em tudo. Também dá para aumentar a concentração em alguns momentos. Sempre falamos que não vamos chegar na perfeição, mas o objetivo é chegar o mais perto possível como time", afirmou o jogador, um dos melhores da competição até agora.

Escrito por:

Estadão Conteúdo