Publicado 21 de Julho de 2021 - 9h14

Por Estadão Conteúdo

A decisão do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para o próximo presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) será uma escolha entre conceder um novo mandato a Jerome Powell, que desfruta de amplo apoio nos mercados e entre parlamentares democratas e republicanos, ou substituí-lo por um de seus colegas bem conceituados.

Powell, cujo mandato termina em fevereiro, é visto por alguns de dentro e de fora do governo como o favorito para seguir no posto. Mas se Biden decidir que prefere sua própria escolha, em vez do nome selecionado pelo ex-presidente Donald Trump, a diretora do Fed Lael Brainard é a candidato mais provável para a nomeação.

Funcionários da administração disseram que Biden consultará seus principais assessores econômicos, incluindo a secretária do Tesouro, Janet Yellen, a presidente do Conselho de Consultores Econômicos ,Cecilia Rouse, e o diretor do Conselho Econômico Nacional, Brian Deese, para discutir a próxima escolha. O chefe de gabinete da Casa Branca, Ron Klain, provavelmente desempenhará um papel de liderança na supervisão da busca.

Alguns democratas querem que Biden substitua Powell. Eles preferem que a Casa Branca nomeie uma mulher ou membro de uma minoria para liderar o banco central como parte de um esforço mais amplo pela diversidade nos escalões superiores do governo dos EUA. Críticos acreditam que o Fed de Powell tem sido fraco demais na regulamentação bancária e querem que o BC desempenhe um papel mais proeminente na abordagem dos riscos da mudança climática.

Powell, um advogado que fez carreira em finanças, foi nomeado para uma cadeira no conselho de governadores do Fed pelo então presidente, Barack Obama, em 2012 antes de Trump o designar para um mandato de quatro anos como presidente da instituição a partir de 2018. Suas perspectivas de ganhar um segundo mandato pareciam obscuras depois de sofrer ataques fulminantes de Trump durante os primeiros dois anos de seu mandato.

Mas sua posição se fortaleceu nos últimos meses, quando integrantes de ambos os partidos e economistas elogiaram seu histórico. Há temores ainda de que uma mudança no comando do Fed aumente os riscos em um cenário econômico espinhoso.

Os republicanos no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara, que frequentemente se opunham aos predecessores de Powell, deram a ele um endosso irrestrito na semana passada. "Você mereceu e merece outro mandato como presidente do Federal Reserve", disse o deputado da Carolina do Norte Patrick McHenry, o principal republicano do comitê, no início de dois dias de audiências na semana passada.

Mais de três em cada quatro economistas entrevistados este mês pelo The Wall Street Journal esperam que Powell receba um segundo mandato, e 86% dos entrevistados acreditam que Powell o mereceu. Fonte: Dow Jones Newswires.

Escrito por:

Estadão Conteúdo