Publicado 21 de Julho de 2021 - 4h29

Por Estadão Conteúdo

O atleta de Uganda do levantamento de peso Julius Ssekitoleko, que desapareceu na sexta-feira passada após entrar no Japão para a disputa da Olimpíada de Tóquio e foi encontrado em Yokkaichi, província de Mie, na terça-feira, será repatriado de forma iminente, anunciou, nesta quarta-feira, a embaixada do país africano em Tóquio.

"Qualquer assunto relacionado à evasão de responsabilidades que ele teve que cumprir no Japão e relacionadas com o seu desaparecimento do campo de treinamento será administrado adequadamente após seu retorno a Uganda", informou, em um comunicado, a embaixada africana.

As imagens de uma câmera de segurança instalada na estação JR de Nagoya mostraram Ssekitoleko passando por uma bilheteria, de acordo com fontes investigativas da polícia japonesa. Outra câmera de segurança na estação JR Kumatori, na província de Osaka, o capturou comprando uma passagem para um Shinkansen com destino a Nagoya por volta das 6h30 de sexta-feira, dia em que ele desapareceu.

A polícia afirmou na terça que o atleta viajou para Nagoya, no centro do Japão, e depois para perto da prefeitura de Gifu, antes de partir para a Mie. "Ele foi encontrado na casa de algumas pessoas conhecidas. Não resistiu à prisão. Ele cooperou e ainda estamos interrogando-o sobre sua motivação", informou um policial de Osaka. Existe a preocupação de que outros atletas desertem.

Fontes disseram que o atleta de Uganda, de 20 anos, deixou um bilhete em seu quarto de hotel, dizendo: "Não vou voltar para Uganda porque a vida é difícil lá. Eu quero trabalhar no Japão. Por favor, mande a bagagem do meu quarto para minha família." Os atletas que permanecerem no Japão para os Jogos Olímpicos estão proibidos de viajar, exceto para transporte entre suas instalações de acomodação e os locais de competição, em princípio.

Escrito por:

Estadão Conteúdo