Publicado 20 de Julho de 2021 - 23h43

Por Estadão Conteúdo

Éverson viveu o céu e o inferno na noite desta terça-feira. O goleiro falhou em gol anulado do Boca Juniors, e virou herói nas cobranças de pênalti para garantir a classificação do Atlético Mineiro às quartas de final da Copa Libertadores, após empate sem gols, no Mineirão, em Belo Horizonte.

"Só agradecimento por Deus e a família que tenho, por ter passado em todas as divisões do Brasileirão e hoje estar representando um time desses, dando minha parcela de retribuição. O gol anulado é interpretativo, passa um filme na cabeça, o atacante acabou me atrapalhando e acabei dando o rebote, mas como estava em posição ilegal, ele viu, fez o certo, depois de muito tempo de tensão ele fez o certo. Interferiu na minha ação", comentou o goleiro.

Após a falha, Éverson deu a volta por cima, fez defesas cruciais durante os 90 minutos e brilhou nos pênaltis ao fazer duas defesas e ainda marcar o gol que definiu a classificação do clube alvinegro.

"Num roteiro que poderia sair como vilão, saí como herói e pude ajudar a equipe contra um grande adversário", começou por afirmar, antes de, novamente, agradecer por jogar no Atlético-MG. Agradeço por estar num grande clube, passado por sofrimento e dificuldades, mas agradeço ter essa oportunidades", concluiu.

Com a vaga assegurada, o Atlético aguarda agora o confronto entre Argentino Juniors e River Plate para conhecer o adversário na próxima fase. O duelo será na quarta-feira, às 21h30, em Buenos Aires. O jogo de ida foi 1 a 1.

Escrito por:

Estadão Conteúdo