Publicado 20 de Julho de 2021 - 23h23

Por Estadão Conteúdo

O jogo entre Atlético-MG e Boca Juniors não terminou após a cobrança do pênalti de Everson que fechou o placar em 3 a 1. Inconformado com a eliminação após ter um gol anulado no tempo normal, o elenco argentino causou destruição no Mineirão, buscou briga e foi até a porta do vestiário dos mineiros para "caçar confusão".

Vídeos gravados por integrantes do clube mineiro e divulgados nas redes sociais mostram quando os jogadores do Boca atravessaram os corredores dos vestiários do estádio derrubando grades de proteção, atirando objetos e partindo para cima dos seguranças. Alguém aparece dizendo nos vestiários que os atleticanos estavam prontos para um embate.

"São os argentinos? Deixem eles virem, que o pau quebra." Após a declaração, o vídeo é cortado e volta adiantado já com os mineiros dentro de vestiário e o presidente Sérgio Coelho na porta ameaçando jogar uma garrafinha de água contra os rivais. Ele acabou puxado para longe da confusão, enquanto os seguranças tentavam impedir a invasão do local.

Argentinos e brasileiros começaram a se desentender ainda no campo do Mineirão. Hulk, inconformado com o tanto de faltas que sofria, começou a revidar e os brasileiros entraram na pilha, transformando um jogo até então tranquilo em batalha. A "explosão" veio após o gol dos visitantes e o chamado do VAR.

O árbitro foi para a cabine observar o lance e o time inteiro do Boca veio "acompanhá-lo". Os mineiros fizeram um escudo humano para impedir a pressão na arbitragem e começou o jogo de empurra e ofensas. Ao longo do bate-boca, até uma caixa de som quase serviu de arma na mão de um argentino. O gol foi anulado, mas o clima hostil permaneceu. As provocações seguiram com ambos usando a estrutura dos bancos de reserva para fazer barulho e tentar intimidação.

Após os pênaltis, os técnicos Cuca e Miguel Ángel Russo se cumprimentaram e o brasileiro fez gesto que estava tudo acabado, sinalizando que não era necessário nenhum tipo de briga. Os mineiros ainda ficaram no campo, festejando, mas ao descerem, viram que os argentinos não souberam perder. A ação rápida da PM e dos seguranças impediu que jogadores, comissão técnica e dirigentes se machucassem na tentativa frustrada de causar briga.

Escrito por:

Estadão Conteúdo