Publicado 20 de Julho de 2021 - 5h27

Por Liz Batista

A Olimpíada de Tóquio-1964, que recebeu 5.151 atletas (4.473 homens e 678 mulheres) de 93 países, contou com 25 modalidades esportivas. Entre elas, duas muito populares no Japão estrearam no cardápio dos esportes olímpicos naquele ano: o judô (disputado apenas no masculino) e o vôlei (masculino e feminino). No atletismo, o pentatlo passou a ser disputado pelas mulheres também. O vôlei foi o primeiro esporte coletivo com a participação de times de mulheres em olimpíadas.

Nos 163 eventos esportivos, alguns atletas puderam escrever seu nome na História do esporte. Entre eles está o do velocista americano Bob Hayes, ganhador de duas medalhas de ouro naquela edição. Apelidado de Bob "Bullet" Hayes (Bob "Bala" Hayes), o atleta venceu a prova dos 100 metros, igualando o recorde mundial na época, e foi decisivo na vitória dos Estados Unidos no revezamento 4x100m, onde um novo recorde mundial foi estabelecido, com o tempo de 39s06.

Mais um prodígio americano nos Jogos foi o jovem nadador de 18 anos de idade, Don Schollander, que garantiu quatro medalhas de ouro. O "garoto de ouro" das piscinas ganhou as disputas nos 100 metros e 400 metros livres, e ainda nos 4x100m e 4x200m livre, e bateu o recorde de medalhas de ouro daquela olimpíada asiática.

Figuras frequentes nos pódios, duas ginastas colecionaram medalhas nos Jogos Olímpicos de Tóquio-1964. A ucraniana Larisa Latynina foi seis vezes medalhista naquela edição, levou duas medalhas de ouro, duas de prata e duas de bronze.

Nome lendário do esporte, Latynina deteve por décadas o recorde de atleta com mais conquistas olímpicas. Ela conquistou 18 medalhas, sendo nove de ouro, nos Jogos de Melbourne-1956, Roma-1960 e Tóquio-1964 e manteve a marca até ser superada pelo nadador Michael Phelps em 2012. O esportista norte-americano disputou cinco edições de Jogos Olímpicos (Sydney-2000, Atenas-2004, Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016) e possui no total 28 pódios olímpicos, sendo 23 delas de campeão, com ouro.

Outro destaque dos Jogos daquele ano veio da ginástica artística. Desafiando o predomínio soviético na modalidade, a ginasta da então Checoslováquia Vera Caslavska conquistou quatro medalhas, três de ouro e uma de prata. No atletismo, a corredora Ann Packer da Inglaterra surpreendeu ao levar o ouro nos 800 metros, prova na qual a atleta não tinha experiência e estava longe do favoritismo. Packer também ficou com a prata nos 400 metros. Outra surpresa nas pistas de corrida foi o ouro de Billy Mills, que deixou para trás um recordista mundial e campeões olímpicos e venceu os 10.000 metros. Mills, um descendente dos índios Sioux, tornou-se o primeiro americano a vencer a prova.

Entre as atuações memoráveis na Olimpíada de 1964 também estão a do etíope Abebe Bikila, que quatro anos antes havia vencido descalço a maratona nos Jogos de Roma em 1960. Ele se tornou o primeiro bicampeão olímpico da modalidade em Tóquio; e a do futuro campeão mundial dos pesos pesados, o pugilista Joe Frazier, que conquistou o ouro olímpico para os Estados Unidos, mesmo competindo com um dedo da mão quebrado, reza a história.

BRILHO NO PÓDIO - "Os japoneses são os únicos que vão participar de todas as modalidades da Olimpíada. Querem fazer bonito nas competições - como estão fazendo na recepção - e organizaram jogos preparatórios, em moldes olímpicos". Assim, a Edição de Esportes do Estadão de 05 de outubro de 1964 comentava a preparação do Japão para os Jogos.

O país se revelou um competidor preparado para a disputa que sediou. Brilhou no quadro geral de medalhas, conquistou 16 ouros, cinco pratas e oito bronzes, num total de 29. No judô, contabilizou três medalhas de ouro. No masculino da ginástica, foi cinco vezes campeão e quatro vezes segundo colocado. No vôlei feminino, ganhou o ouro. Ficou atrás das duas potências olímpicas do período, EUA e União Soviética.

Escrito por:

Liz Batista