Publicado 20 de Julho de 2021 - 3h32

Por Estadão Conteúdo

O forte calor que atinge a cidade de Tóquio é um dos obstáculos dos atletas para um bom desempenho nos Jogos Olímpicos. Os tenistas brasileiros resolveram encarar o problema e agendaram seus treinos nos períodos mais quentes na capital japonesa, que tem registrado temperaturas perto dos 40 graus. As disputas de tênis começam no sábado, no Ariake Tennis Park.

"Aqui está bem abafado. Na segunda treinamos às 11h, vamos treinar ao meio-dia, pegar bem esses horários de pico do sol para adaptarmos nosso corpo e não sentirmos tanto o baque na hora do jogo. Estou acostumado, mas são condições difíceis, que eu particularmente gosto. Fisicamente me sinto bem, fazer essa preparação nesses horários é bom e sabemos que o adversário também vai sentir", afirmou Thiago Monteiro, que, além de simples, jogará duplas ao lado de Marcelo Demoliner.

A adversidade não tira o ânimo e a disposição dos atletas para a disputa dos Jogos, adiados por um ano por causa da pandemia. "Representar o Brasil é gratificante. Ganhar uma medalha olímpica é importante para a carreira de qualquer atleta. As pessoas acham que para o tenista não é porque temos os Grand Slams, mas Jogos Olímpicos são Jogos Olímpicos", afirmou Marcelo Melo, que disputa sua quinta edição do evento.

"Os Jogos do Rio supostamente seriam meus últimos, mas agora espero que nem esses sejam. Estou jogando em alto nível, com energia e foco, espero usufruir muito bem dessa edição e quem sabe ganhar a tão sonhada medalha", afirmou Marcelo Melo, que fará dupla com Bruno Soares.

João Menezes, campeão dos Jogos Pan-americanos de Lima 2019 e primeiro tenista do Brasil a se classificar para Tóquio, prefere não fazer metas. "Vou falar o que falei no Pan em 2019. Não é legal vir com um objetivo muito grande para não cair do cavalo. Vou jogo a jogo, tentando fazer o que venho treinando. Conforme for progredindo na chave poderei sonhar mais alto."

Escrito por:

Estadão Conteúdo