Publicado 19 de Julho de 2021 - 9h12

Por Londres

A equipe Mercedes, a Fórmula 1 e seu órgão regulador, a FIA, emitiram um comunicado em conjunto nesta segunda-feira condenando os comentários racistas online dirigidos a Lewis Hamilton, após o acidente com o holandês Max Verstappen na primeira volta do Grande Prêmio da Inglaterra de domingo.

"A Fórmula 1, a FIA e a Mercedes-AMG Petronas F1 Team condenam este tipo de comportamento nos termos mais fortes possíveis", disse o comunicado. "Essas pessoas não têm lugar em nosso esporte e pedimos que os responsáveis sejam responsabilizados por suas ações. A Fórmula 1, a FIA, os pilotos e as equipes estão trabalhando para construir um esporte diversificado e inclusivo, e tais instâncias inaceitáveis de abuso online deve ser destacado e eliminado."

Hamilton recebeu uma penalidade de dez segundos após o acidente, que tirou Verstappen da corrida, mas se recuperou na prova e acabou conquistando sua oitava vitória em 'casa'.

Verstappen foi levado ao hospital após o acidente, mas não foram diagnosticadas lesões graves, segundo informação da Red Bull, equipe pela qual compete. "Embora possamos ser rivais ferozes no pista, estamos todos unidos contra o racismo", disse a equipe austríaca. "Condenamos o abuso racista de qualquer tipo contra nossas equipes, nossos concorrentes e nossos fãs. Como uma equipe, estamos enojados e tristes por testemunhar o abuso racista a que Lewis foi submetido nas redes sociais após a colisão com Max. Nunca há qualquer desculpa para isso. Certamente não há lugar para isso em nosso esporte e os responsáveis devem ser responsabilizados."

A F-1 está compilando um dossiê dos posts ofensivos e irá levá-lo diretamente para as plataformas e exigir uma ação. O Facebook, dono do Instagram, disse que tentou remover o conteúdo prejudicial o mais rápido possível e encorajou as pessoas a usarem as ferramentas que oferecidas para bloquear o abuso.

"O abuso racista dirigido a Lewis Hamilton durante e após o Grande Prêmio da Inglaterra é inaceitável e removemos vários comentários do Instagram", informou a plataforma em um comunicado. "Além do nosso trabalho para remover comentários e contas que quebram repetidamente nossas regras, há segurança e recursos disponíveis, incluindo filtros de comentários e controles de mensagens, que ajudam a ninguém precisar ver esse tipo de abuso. Nada resolverá este desafio da noite para o dia, mas estamos comprometidos com o trabalho para manter nossa comunidade protegida de abusos."

Na semana passada, Hamilton publicou um post após Marcus Rashford, Jadon Sancho e Bukayo Saka terem sido abusados racialmente após a derrota da Inglaterra contra a Itália na final da Eurocopa, em Wembley. "O abuso racial nas redes sociais contra os nossos jogadores após o jogo é inaceitável. Esse tipo de ignorância deve ser interrompido. Tolerância e respeito pelos jogadores não devem ser condicionais. Nossa humanidade não deve ser condicional."

Escrito por:

Londres