Publicado 18 de Julho de 2021 - 13h57

Por Estadão Conteúdo

O inglês Lewis Hamilton está de volta à disputa pelo título da temporada na Fórmula 1, após ganhar um tumultuado GP de Silverstone, na Inglaterra. Correndo em casa, ele se envolveu em acidente com Max Verstappen na primeira volta, acabou tirando o líder da prova com acidente forte, recebeu punição, mas se recuperou para ultrapassar Charles Leclerc na penúltima volta e festejar a oitava vitória no circuito caseiro. Com o resultado, Hamilton acaba com jejum de cinco corridas e diminuiu para somente oito pontos a desvantagem do rival da Red Bull.

Hamilton comemorou como se fosse sua primeira vitória na Fórmula 1. E já soma 99 na carreira. Pegou bandeira da Inglaterra e deu uma volta estilo Ayrton Senna em Interlagos. Ainda desceu do carro para festejar com o público. Nada menos de 352 mil pessoas estavam nas arquibancadas de Silverstone.

Visivelmente emocionado, quase não conseguiu falar sobre a primeira colocação após deixar o carro, antes de subir ao pódio. "Aí, meu Deus", esfregava o peito e a barriga. "Foi uma corrida muito difícil fisicamente, em um dia maravilhoso", falou, ovacionado. "Nós temos a melhor torcida do mundo, que não tem em nenhum lugar. É um sonho, e não poderia ter sido realizado sem a ajuda do Bottas", enfatizou. O companheiro de equipe facilitou sua ultrapassagem antes da caça a Charles Leclerc. "Lutei ao máximo para essa maravilha torcida."

O piloto da Ferrari foi o segundo colocado e Valtteri Bottas, o terceiro. A Red Bull viu seus dois pilotos fora da zona de pontuação em fim de semana desastroso e de muita indignação com a batida entre Hamilton e Verstappen.

Com sangue nos olhos e querendo dar o troco em Verstappen do dia anterior, no qual perdeu a pole no início da prova sprint, Hamilton fez uma largada extremamente agressiva. Talvez, proporcionando a melhor primeira volta da temporada de Fórmula 1. Foram várias investidas para cima do holandês, até se tocarem após cruzarem a reta e o piloto da Red Bull acabar fora da pista numa batida forte contra a proteção de pneus. A corrida foi interrompida.

Verstappen recebeu atendimento médico rápido, logo se restabeleceu e até acenou ao público. Por medida de segurança, foi encaminhado ao Centro Médico dentro do circuito. Não sofreu nada de mais grave, senão dores na perna direita.

Leclerc, que largou bem e foi logo ultrapassando Bottas, ainda se beneficiou com o acidente dos líderes do Mundial e acabou herdando a primeira colocação antes de a prova receber a bandeira vermelha. Sairia na frente na relargada, enquanto a direção da prova avaliava quem era o culpado do incidente. O carro de Verstappen ficou totalmente danificado.

Depois de quase 45 minutos parada, a corrida voltou. E com Leclerc largando bem, não dando chances para Hamilton. A direção da prova puniu o inglês em 10 segundos pelo acidente. Cumpriria na parada nos boxes, na volta 28. Antes da punição, o inglês pressionou o monegasco, sem sucesso. Mesmo com o motor da Ferrari apagando por duas vezes.

Com a troca de pneus e a punição, Hamilton caiu para o quarto lugar. Teria de fazer prova de recuperação para diminuir bem a vantagem de Verstappen na liderança do Mundial, então de 33 pontos. Logo passou Lando Norris e tentava se aproximar do companheiro, Bottas. Depois de largar em último, Sérgio Perez já ocupava a nona posição.

As bolhas nos pneus preocupavam Bottas, enquanto Hamilton garantia o ponto extra de volta mais rápida, mesmo não conseguindo chegar ao companheiro de Mercedes. Leclerc seguia tranquilo na liderança. Já Pérez, obrigado a parar novamente, despencou para 17°, em fim de semana frustrante da Red Bull. Cruzaria em 16º com abandono de Sebastian Vettel, mas com o ponto extra tirado de Hamilton.

Restando 10 voltas, já em segundo após ultrapassar Bottas sem nenhum trabalho, Hamilton tinha 7,5 segundos de desvantagem para Leclerc. Fazia melhor tempo a cada volta e se aproximava rapidamente. Restando duas voltas, o inglês colou na briga pela vitória e ultrapassou para enorme festa dos 352 mil presentes em Silverstone, justamente na curva do incidente com Verstappen.

Se amargou decepção no GP da França ao perder a liderança na última volta para o holandês, correndo em casa assumiu a ponta também no fim, encaminhando a oitava vitória no circuito inglês. Com pneus desgastados, buscou uma vitória que não vinha havia cinco provas. Aplaudido de pé, festejou com bandeira inglesa.

Verstappen mantém a liderança do Mundial de Pilotos, com 185 pontos, mas viu a diferença cair de 33 para somente 8 pontos, com Hamilton subindo para 177 com a vitória. A próxima corrida ocorre daqui duas semanas, em Hungaroring, na Hungria.

Veja a classificação do GP de Silverstone:

1º) Lewis Hamilton (GBR/Mercedes), em 1h58min23s284

2º) Charles Leclerc (MON/Ferrari), a 3s871

3º) Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), a 11s125

4º) Lando Norris (GBR/McLaren), a 28s573

5º) Daniel Ricciardo (AUS/McLaren), a 42s624

6º) Carlos Sainz (ESP/Ferrari), a 43s454

7º) Fernando Alonso (ESP/Alpine), a 1min12s093

8º) Lance Stroll (CAN/Aston Martin), a 1min14s289

9º) Esteban Ocon (FRA/Alpine), a 1min16s162

10º) Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri), a 1min22s065

11º) Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri), a 1min25s327

12º) George Russell (GBR/Williams), a uma volta

13º) Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a uma volta

14º) Nicholas Latifi (CAN/Williams), a uma volta

15°) Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo), a uma volta

16º) Sergio Pérez (MEX/Red Bull), a uma volta

17º) Nikita Mazepin (RUS/Haas), a uma volta

18°) Mick Schumacher (ALE/Haas), a uma volta

Não completaram a prova:

Max Verstappen (HOL/Red Bull)

Sebastian Vettel (ALE/Aston Martin)

Escrito por:

Estadão Conteúdo