Publicado 18 de Julho de 2021 - 6h47

Por Felipe Rosa Mendes

Em busca de nova identidade, após a saída de Rogério Ceni, o Flamengo vai visitar o Bahia às 18h15 deste domingo, no estádio Pituaçu, em Salvador, pela 12ª rodada do Brasileirão. Será o segundo jogo da equipe sob o comando de Renato Gaúcho, que tenta recuperar o bom futebol do atual bicampeão brasileiro.

Neste Brasileirão, o Flamengo ainda não convenceu. Após esbanjar irregularidade nas primeiras rodadas, principalmente em razão de desfalques, somou vitórias nas últimas partidas, tanto pela competição nacional quanto pela Copa Libertadores, como fez no 1 a 0 sobre o Defensa y Justicia. Porém, está longe de encantar.

Na quarta-feira, o time carioca sofreu durante a maior parte do jogo, encarou forte pressão em Buenos Aires, e venceu no sufoco, na estreia de Renato. Com três dias de intervalo entre o jogo na Argentina e o duelo com os baianos, o treinador teve a oportunidade de começar a dar a sua cara ao time, devolvendo a identidade perdida nos últimos meses.

Renato Gaúcho ainda não deixou claro se vai repetir no Fla a estratégia de fazer rodízio no elenco, priorizando a Libertadores, algo que fez com frequência no Grêmio. Em 2017, deu certo e o time gaúcho foi campeão. Nos anos seguintes, a opção de poupar titular no Brasileirão não trouxe conquistas.

Para o confronto deste domingo, Renato terá os retornos do volante Willian Arão e do meia Diego. O primeiro cumpriu suspensão diante do Defensa y Justicia e o segundo se recuperou de lesão. O atacante Bruno Henrique e o zagueiro Rodrigo Caio estão em fase final de recuperação física e só devem voltar ao time na quarta, na partida da volta contra o adversário argentino, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Assim, Gustavo Henrique e Léo Pereira devem formar a dupla de zaga, enquanto o ataque deve ter Michael e Gabriel. Pedro é opção para o decorrer do jogo.

REABILITAÇÃO - Na esperança de se reabilitar da derrota para o São Paulo, por 1 a 0, o Bahia espera surpreender o Flamengo. O técnico Dado Cavalcanti, porém, tem algumas baixas e fez mistério na escalação.

"As saídas e chegadas atrapalham a dinâmica de uma ideia de jogo que vinha sendo repetida. Eu não gosto de fugir da pergunta, mas não vou entregar a escalação. Deixo aberto todas as possibilidades. Essas prerrogativas poderão acontecer. Já temos um desenho, um esboço. Espero que nada de novo aconteça para escalarmos a melhor formação possível", despistou o treinador.

O volante Jonas está suspenso com três cartões amarelos e o meia Thaciano deixou o clube. Uma das possibilidades é a entrada de Matheus Galdezani no meio-campo e de Maycon Douglas no ataque, com Rodriguinho sendo utilizado mais recuado.

A semana foi movimentada no Fazendão, com a saída de dois jogadores e a chegada de outros dois. A direção anunciou os acertos com o atacante colombiano Hugo Rodallega e o meia argentino Lucas Mugni.

Por outro lado, o meia Thaciano deixou o clube nesta semana. Ele acertou com o Altay Kulubu, da Turquia. O jogador de 26 anos pertencia ao Grêmio e estava emprestado ao clube baiano até o final da temporada. Negociado ao Midtjylland, da Dinamarca, o zagueiro Juninho foi outro titular que saiu do elenco.

Dos 18 pontos que disputou em casa, o time baiano conquistou dez - venceu Juventude, Santos e Atletico-PR e empatou com o Corinthians. Mas perdeu para Internacional e América-MG. Com 17 pontos, o Bahia terá que superar uma série de desfalques para passar pelo Flamengo. O volante Jonas está suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Escrito por:

Felipe Rosa Mendes