Publicado 18 de Julho de 2021 - 5h07

Por Estadão Conteúdo

Com o desafio de seguir na liderança isolada do Campeonato Brasileiro, o técnico Abel Ferreira aposta na "cultura de vitórias" que o time vem adquirindo nos últimos confrontos para conquistar mais um triunfo neste domingo, diante do Atlético-GO, às 16h, no estádio Antonio Aciolly. Com 25 pontos e a dois de vantagem do Bragantino, segundo colocado, um novo resultado positivo serve também para reforçar a confiança da equipe, que deve ter mudanças. Alguns jogadores devem ser preservador para o duelo de volta das oitavas da Libertadores contra a Universidad Católica no meio de semana.

Após um primeiro semestre complicado, em que perdeu as três finais que disputou, o time agora parece trabalhar em total sintonia. São seis vitórias seguidas na temporada (sendo cinco pelo Brasileiro) e a possibilidade de poder poupar os atletas mais desgastados pelo calendário de partidas.

"Temos que saber lidar com as expectativas criadas, que são altas. Muitas vitórias trazem responsabilidade e exigência. Esse é o preço que pagamos por estar nessa fase", falou o treinador.

E o segredo para não perder o fio da meada talvez seja uma boa dose de equilíbrio. E isso pode ser traduzido em cautela no que diz respeito à condição física dos jogadores. O técnico português tem três desfalques certos para o compromisso diante dos goianos já que Luan, Rony e Luiz Adriano seguem entregues ao departamento médico.

A estratégia montada para surpreender o Atlético-GO mais uma vez vai ter base na boa marcação no meio-campo e a utilização de contra-ataques explorando a velocidade de Breno Lopes e Deyverson. O atacante Dudu, que entrou nos minutos finais contra o Santos, deve ser opção para a segunda etapa.

A boa fase de Zé Rafael e a criatividade de Gustavo Scarpa também são armas que Abel pretende utilizar para dar cadência ao ritmo de jogo. Ele espera uma pressão por parte dos donos da casa, principalmente no primeiro tempo.

"O Campeonato Brasileiro é muito equilibrado e com essa sequência de jogos, tudo acaba ficando mais difícil. São muitos pontos que temos de analisar", comentou o treinador português.

Com uma campanha intermediária - ocupa a 10ª colocação com 15 pontos - o Atlético-GO sabe que está devendo na parte ofensiva. Foram apenas nove gols marcados em dez rodadas disputadas. Com a intenção de corrigir essa deficiência, o técnico Eduardo Barroca deve mexer no setor.

Ronald e Zé Roberto podem ser escalados para aumentar a agressividade do ataque. Outra possibilidade é recuar Natanael para a lateral esquerda e colocar mais um jogador ofensivo. Nesse caso, o mais cotado é André Luís.

Escrito por:

Estadão Conteúdo