Publicado 17 de Julho de 2021 - 19h07

Por Gabriel Bueno da Costa

O governo do presidente da Argentina, Alberto Fernández, denunciou judicialmente nesta segunda-feira, 12, o ex-presidente Mauricio Macri (2015-2019) e quase uma dezena de funcionários da gestão Cambiemos pelo envio de "material repressivo" à Bolívia em novembro de 2019, informa a agência estatal Télam. O episódio ocorreu, segundo a agência, quando o presidente Evo Morales, que estava no poder desde 2019, acabou forçado a renunciar em meio a violentos protestos, no que a agência argentina qualifica como um "golpe de Estado".

A atual administração acusa Macri e funcionários dele de enviar ilegalmente armamento e munições para a Bolívia, colocando o material "à disposição da ditadura que recém havia tomado o poder no país vizinho, encabeçada por Jeanine Áñez". A denúncia judicial diz que houve a adulteração de quantidades e destinações declaradas em distintas instâncias de controle, inclusive o serviço aduaneiro, para colaborar com o novo regime no país vizinho.

Fernández considerou a suspeita "muito grave" e disse ser necessária a denúncia, segundo a imprensa local.

Escrito por:

Gabriel Bueno da Costa