Publicado 17 de Julho de 2021 - 7h37

Por O Estado de S.Paulo

Por Redação

O governo do Afeganistão instalou neste domingo, 11, um sistema de defesa capaz de interceptar foguetes e mísseis no aeroporto de Cabul, a rota de saída do país. A comunidade internacional demonstrou preocupação com mais um sinal do avanço do Taleban, e a Índia determinou a retirada de seus funcionários do consulado em Kandahar.

O Taleban assumiu o controle de 85% do território afegão nos últimos dois meses, em uma ofensiva que coincidiu com a retirada final dos soldados estrangeiras no Afeganistão e a saída dos EUA do país. As forças de segurança negam, e dizem que a maioria das áreas 'ainda estão em disputa'. Privadas do apoio aéreo americano, as forças afegãs oferecem pouca resistência ao grupo radical islâmico.

As forças afegãs só controlam as estradas principais e as capitais provinciais, a maioria ainda cercada pelos insurgentes, aumentando o temor de que ataquem em breve Cabul ou seu aeroporto. Ddistritos nas províncias vizinhas de Cabul, localizadas em um raio de 100 km da capital, caíram nas mãos do Taleban.

O sistema de defesa "nos foi dado por nossos amigos estrangeiros. É uma tecnologia complicada, e nossos amigos estrangeiros estão fazendo com que funcione enquanto adquirimos o conhecimento para usá-lo", declarou Omar Shinwari, porta-voz das forças de segurança afegãs, sem especificar qual o país doou o material. "Esse sistema se mostrou útil em todo o mundo para repelir ataques de mísseis e foguetes."

Durante seus 20 anos de presença no Afeganistão, o Exército americano implementou em suas bases diversos sistemas C-RAM (contra-foguetes, artilharia e morteiros), capazes de detectar e destruir projéteis. Este tipo de sistema foi implementado em particular na enorme base de Bagram, 50 km ao norte de Cabul, devolvida no início de julho às forças afegãs.

O Taleban lançou, em diversas ocasiões, ataques com foguetes e morteiros contra o governo ou as forças estrangeiras, enquanto o grupo rival Estado Islâmico (EI) realizou um ataque do tipo em Cabul em 2020.

A Turquia se comprometeu a garantir a segurança do aeroporto de Cabul quando todas as tropas americanas e da OTAN deixarem o país, prazo previsto para 31 de agosto. O presidente turco Recep Tayyip Erdogan indicou na sexta-feira que Ancara e Washington concordaram com as "modalidades" do esquema.

Preocupada com os combates perto de Kandahar, a Índia anunciou que retirou os funcionários indianos de seu consulado na grande cidade no sul do Afeganistão. A província de Kandahar, local de nascimento e fortaleza histórica do Taleban, tem sido palco de intensos combates recentemente. Os insurgentes tomaram o distrito-chave de Panjwai, a cerca de 15 km da cidade de Kandahar no início de julho.

Segundo relatos obtidos pelas agências internacionais, cerca de cinquenta indianos da equipe do consulado, incluindo seis diplomatas, foram retirados de Kandahar, sem informações sobre seu destino, Cabul ou Nova Delhi. Nos últimos dias, devido aos combates no norte do Afeganistão, a Rússia fechou seu consulado em Mazar-i-Sharif, capital da província de Balkh e um dos principais centros urbanos afegãos, próximo à fronteira com o Afeganistão.

Pequim aconselhou recentemente seus cidadãos a deixarem o país e retirou 210 deles no início de julho. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Escrito por:

O Estado de S.Paulo Redação