Publicado 28 de Junho de 2021 - 15h36

Por Fabrício de Castro

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta segunda-feira que a "corrida do ouro" recente na indústria financeira está ligada à capacidade das instituições de ter conteúdo, canal de pagamento e serviço de mensageria. "Não sabemos exatamente qual será a intermediação financeira do futuro", disse Campos Neto. "Existe uma fusão de diversos canais."

Campos Neto afirmou ainda que a disputa das instituições pelo conhecimento está ligada à forma de monetizar os dados disponíveis. "Dado é um ativo valioso, que gera receita e não paga imposto", disse Campos Neto, participante de evento virtual sobre o Open Banking, promovido pela Folha de S.Paulo.

O presidente do BC destacou também o crescimento das mídias sociais, que se "empoderaram" e "têm capacidade grande para analisar dados". Campos Neto pontuou ainda que a tecnologia tem sido uma forma de "empoderar" também as pessoas.

"O movimento de monetizar dados está cada vez mais dando empoderamento às pessoas", disse, lembrando que os clientes das instituições financeiras terão poder sobre suas informações no Open Banking - o sistema brasileiro de compartilhamento de dados. "O open banking vai transformar o sistema financeiro, o tornando mais competitivo", afirmou Campos Neto.

Bancos grandes

O presidente do Banco Central disse que o Open Banking - o sistema brasileiro de compartilhamento de dados de clientes - não gerará o encolhimento dos bancos grandes. "Pelo contrário. Os bancos terão uma fatia menor de um bolo maior", comentou.

Segundo ele, o sistema tende a incentivar a bancarização da população brasileira, com oportunidades para as instituições financeiras.

Escrito por:

Fabrício de Castro