Publicado 23 de Junho de 2021 - 12h48

Por Daniela Amorim

Às vésperas da pandemia do novo coronavírus, quase quatro em cada dez brasileiros tinham alguma dificuldade de acesso à água, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 23, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano de 2019, aproximadamente 38% da população do País tinham alguma vulnerabilidade de acesso à água, quase 80 milhões de pessoas, "o que poderia dificultar a higienização das mãos e de objetos", apontou o órgão.

Em todo o Brasil, 22,4% dos habitantes moravam em lares sem abastecimento diário ou sem estrutura de armazenamento de água, enquanto que 11,9% eram abastecidos por outra forma que não a rede geral de distribuição de água.

Outros 3,4% moravam em domicílios sem ligação à rede geral de água nem ao menos canalização, apontam os dados dos Indicadores Sociais de Moradia no Contexto Pré-Pandemia de Covid-19, baseados em informações coletadas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua).

Apenas 62,2% da população brasileira consumiam água oriunda de rede geral de distribuição, com abastecimento diário e estrutura de armazenamento, como caixa d'água, por exemplo. Esse porcentual subia a 81,4% na região Sudeste, mas descia a somente 29,6% no Norte e 41,1% no Nordeste.

"No contexto atual, no qual autoridades de saúde apontam a importância do distanciamento social e da lavagem das mãos com água e sabão para o combate à pandemia, o IBGE considera fundamental disponibilizar informações que auxiliem a superação da crise e a proteção da população frente ao grave quadro de saúde pública global", defendeu Bruno Mandelli Perez, analista do IBGE responsável pelo estudo, em nota oficial.

Em 2019, 2,6% da população moravam em domicílios sem banheiro, ou seja, cerca de 5,4 milhões de brasileiros nessa situação. Na região Norte, 11,0% dos moradores não tinham banheiro em casa para higiene pessoal.

O IBGE também divulgou informações sobre o número de pessoas por domicílio, o chamado adensamento domiciliar, que influencia a possibilidade de isolamento em casa quando há infecção de algum morador por covid-19.

Em 2019, apenas 27,0% da população viviam em domicílios com três pessoas, enquanto 9,8% dos brasileiros moravam em casas com seis ou mais pessoas. "A proporção de pretos e pardos que viviam nessa situação era quase o dobro da população branca", ressaltou o IBGE.

Escrito por:

Daniela Amorim