Publicado 22 de Junho de 2021 - 9h58

Por Estadão Conteúdo

A notícia de que Cristiane não estará em campo pela seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 pegou muita gente de surpresa. Depois de comentar este fato, a jogadora do Santos voltou às redes sociais para falar sobre respeito. Em um pequeno desabafo, a atacante pediu para que as pessoas respeitassem os nomes que foram escolhidos pela técnica sueca Pia Sundhage para fazerem parte do time olímpico e que não desmerecessem alguém com a intenção de exaltar o outro.

"Pessoal, queria pedir um favor a todos que me seguem aqui. Não desmereçam o trabalho de algumas atletas para enaltecer o de outras. Escolhas e decisões não são nossas. Trabalhamos arduamente para alcançar nossos objetivos e conquistas", disse a jogadora de 36 anos em uma postagem na sua conta no Instagram.

Cristiane ainda deu exemplos de algumas situações, relacionadas à convocação, que estariam causando constrangimento às atletas da seleção. A jogadora contou que desde que seu nome não foi citado por Pia Sundhage, muitas comparações foram feitas. "Fazemos tudo e um pouco mais por melhorias e crescimento da modalidade. Então, não é justo que uma atleta seja obrigada a ler um monte de m**** e ainda ficar calada", apontou antes de completar.

"Não gosta dela, ou do seu futebol, não a ofenda, não desmereça sua luta. É só não seguir e não acompanhar. E quando acharem que tem direito a opinar sobre algo, tenha certeza absoluta do que você está falando. Torçam e acreditem naquilo que ela é capaz", concluiu.

Ao ser questionada sobre o motivo pelo qual Cristiane não foi convocada, durante a entrevista coletiva na última sexta-feira, Pia Sundhage deu seus motivos.

"Geralmente, eu não comento sobre jogadoras que não estão na convocação porque é quase que um insulto a quem está na lista. Mas mesmo assim vou responder por respeito. A Cristiane jogou diversos jogos com a seleção e fez muita diferença. Ela ajudou muito a equipe e hoje acho que existem outras jogadoras que vão ajudar o time a jogar um bom futebol", justificou a treinadora.

Escrito por:

Estadão Conteúdo