Publicado 12 de Junho de 2021 - 18h26

Por Estadão Conteúdo

O Brasil conquistou suas duas primeiras medalhas no Mundial de Judô, neste sábado, em Budapeste. E com uma dobradinha na categoria dos pesados entre as mulheres. Maria Suelen Altheman e Beatriz Souza ficaram com a medalha de bronze e embolaram de vez a briga por uma vaga nos Jogos de Tóquio. As duas estariam classificadas pelo ranking, e como cabeças de chave. Até por isso, a comissão técnica da Confederação Brasileira de Judô (CBJ) vai se reunir para definir qual será a escolhida.

A dobradinha e com pódio mostra que as duas têm condições de ir bem na Olimpíada. Até por isso, a definição será por análise de vários critérios pré-definidos anteriormente, como retrospecto recente em competições importantes, desempenho contra as melhores da categoria e até confronto direto.

As duas brasileiras tiveram a mesma algoz no Mundial, a japonesa Wakaba Tomita, que ficou com a medalha de prata após perder na final para sua compatriota Sarah Asahina. Mas ambas se recuperaram e na disputa de bronze: Bia ganhou da francesa Jula Tolofua e Maria Suelen teve uma vitória expressiva sobre a cubana Idalys Ortiz, adversária que já tinha enfrentado 16 vezes anteriormente e perdido todas. "Estou com a alma lavada", disse.

No masculino, Rafael Silva, o Baby, terminou na quinta colocação ao perder sua luta contra o holandês Roy Meyer. Mas ele foi melhor que David Moura, que foi derrotado nas oitavas pelo finlandês Martti Puumalainen, e deve ser o escolhido para representar o Brasil nos Jogos de Tóquio. O próprio David reconheceu o bom momento de Baby. "É galera. Momento difícil. Não deu. Só quero agradecer demais a torcida e o carinho de todos. Parabéns pela vaga, Rafael Silva, você é um monstro", disse em suas redes sociais.

Neste domingo, o Brasil volta ao tatame para a disputa de equipe mista. A equipe é cotada para o pódio e tem possibilidade de conquistar mais uma medalha no Mundial. E na quarta-feira a CBJ vai fazer a apresentação oficial da equipe olímpica, às 14h, em transmissão ao vivo no Canal Brasil Judô, no YouTube.

Escrito por:

Estadão Conteúdo