Publicado 11 de Junho de 2021 - 19h05

Por Estadão Conteúdo

O duelo que se tornou um clássico do vôlei mundial prometia ser equilibrado, mas a seleção brasileira masculina sobrou, fez uma de suas melhores partidas na Liga das Nações e passou com autoridade pela Polônia por 3 sets a 0, com parciais de 25/17, 28/26 e 25/19, nesta sexta-feira, em Rimini, na Itália.

O resultado faz as seleções inverterem as posições na tabela de classificação. O Brasil assume a liderança da Liga das Nações. São oito triunfos e apenas um revés, para a França, somando 24 pontos. A Polônia, agora vice-líder, soma sete vitórias e tem 21 pontos. França é a terceira colocada, também com 21.

Após fechar a terceira etapa do torneio em alta, o Brasil folga nos próximos três dias e volta à quadra na próxima terça-feira, contra a Eslovênia, às 14h30, para a quarta semana da Liga das Nações.

Seguro na defesa, eficiente no ataque e extremamente concentrado, o Brasil não deu chances para a forte seleção polonesa, atual bicampeã mundial com vitórias nas finais justamente diante dos brasileiros.

Com os titulares de volta - o técnico interino Carlos Schwanke havia escalado um time misto contra a Bulgária, quinta - a seleção brasileira se impôs, foi dominante no saque e bloqueio e contou com grande atuação do oposto Wallace, um dos protagonistas da partida, com 18 pontos. Lucarelli fechou o duelo com 16 e também se sobressaiu. Outros destaques do foram Leal, com 11 pontos, Isac, com seis e Maurício Souza, também com seis.

No primeiro set, os brasileiros foram perfeitos no início, abriram boa vantagem, mas depois viram os poloneses cresceram e terem a chance de empatarem o confronto. Wallace, porém, apareceu para conduziu a equipe rumo à vitória com tranquilidade por 25/17.

Na segunda parcial, a Polônia melhorou, endureceu a partida e não deixou o Brasil desgrudar. Mas o time de Carlos Schwanke se recuperou e contou com erros do craque da Polônia, Leon, que entrou no segundo set para fazer a diferença, mas estava em um dia ruim. Primeiro, o cubano naturalizado polonês parou em um bloqueio de Maurício Souza e depois invadiu por cima e deu o ponto final ao time brasileiro: 28/26.

Os poloneses tentarem reagir sem muita organização, até ficaram à frente no início do terceiro set, mas não sustentaram a vantagem graças às falhas e ao forte bloqueio brasileiro. O Brasil disparou e fechou o set e o jogo com tranquilidade.

Escrito por:

Estadão Conteúdo