Publicado 11 de Junho de 2021 - 6h06

Por Marcius Azevedo

A seleção brasileira feminina de basquete entra em quadra nesta sexta-feira para iniciar o ciclo rumo aos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. O Brasil busca se recuperar do baque de ficar fora da Olimpíada de Tóquio na disputa da Copa América, em Porto Rico, competição que classifica quatro países para o Pré-Mundial. A equipe comandada pelo técnico José Neto enfrenta El Salvador, na estreia pelo Grupo A, às 19h10, com transmissão do SporTV. Depois encara Colômbia (sábado), Canadá (domingo) e Ilhas Virgens (segunda-feira). Todos os jogos acontecem no Coliseo Roberto Clemente.

Sem sua principal jogadora - Damiris Dantas pediu dispensa -, o Brasil terá uma equipe com atletas que atuam em sua maioria no Brasil, na Liga de Basquete Feminino, com exceção de Clarissa, do Villeneuve, da França, e Kamilla Cardoso, da University of South Carolina, dos Estados Unidos.

Será o primeiro jogo da seleção após ficar fora de Tóquio. O Brasil não entra em quadra há exato um ano, quatro meses e dois dias. "Foi um momento difícil para gente na época, mas não há tempo para ficar frustrada. Agora começamos um novo ciclo, com novos objetivos visando o mundial na Austrália e Paris-2024", afirmou Tainá Paixão, atleta do Sesi Araraquara. "Estamos confiantes e nos sentindo preparadas. Tivemos pouco tempo de treino, mas foi muito produtivo. Acredito que conseguiremos fazer um grande campeonato e consequentemente conquistar o nosso objetivo", completou.

Para Alana Gonçalo, do Ituano, a frustração de ficar fora dos Jogos Olímpicos ficou no passado. "Para nós, Tóquio já ficou para trás e agora o foco é em Paris-2024. Este é o primeiro desafio para a nossa caminhada até lá, e vamos começar com força máxima para atingir nossos objetivos", afirmou. "A nossa expectativa é de fazer um grande campeonato, conquistar a vaga e sair com a medalha no peito. Sabemos que é um campeonato muito equilibrado e de qualidade, onde teremos grandes desafios todos os dias."

Já o técnico José Neto acredita que o longo período de paralisação das competições de seleções será um obstáculo para o Brasil na Copa América. "É uma competição que, pelo tempo que ficamos parados, tem uma questão importante, que é o imprevisível. Não sabemos como estão todos os adversários", afirmou o treinador, que, no entanto, tem muitas informações sobre El Salvador.

"El Salvador conseguimos ver um pouco porque eles jogaram o Centrobasket recentemente. É uma equipe que joga com intensidade, velocidade, porque não tem jogadoras altas. Tem uma variação de defesa, com zona, principalmente contra equipes como o Brasil. Temos de nos impor para vencer, com uma marcação forte e usar o nosso jogo interior", analisou.

Pelo regulamento, os quatro primeiros avançam às quartas de final, quando cruzam com os da outra chave. No Grupo B estão Estados Unidos, Argentina, Venezuela, Porto Rico e República Dominicana. Quem vencer garante vaga na semifinal e também no Pré-Mundial. A competição vai acontecer em fevereiro de 2022, quando 16 seleções serão separadas em quatro sedes diferentes. Os três primeiros de cada sede se classificam para o Mundial da Austrália, que vai contar com apenas 12 países.

Apesar de ser anfitriã do torneio, a Austrália vai participar do Pré-Mundial já com vaga garantida. Além disso, a Federação Internacional de Basquete (Fiba) ainda não informou se o campeão olímpico em Tóquio também se classifica antecipadamente.

Escrito por:

Marcius Azevedo