Publicado 09 de Junho de 2021 - 19h35

Por Pedro Caramuru e Daniel Weterman

O ministro da Saúde e médico cardiologista, Marcelo Queiroga, afirmou que o País registrou em 2020 um aumento do número de óbitos, cuja principal causa é o crescimento da notificação de mortes por covid-19. O ministro também reforçou que nas capitais mais atingidas pela doença, como Manaus (AM), Belém (PA), São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ), houve também aumento de mortes por doenças cardiovasculares, apesar da redução de notificações de infarto e acidentes vasculares cerebrais (AVCs).

Sobre a possibilidade de poder ter havido um aumento artificial dos números, Queiroga disse à CPI da Covid no Senado que "o Ministério da Saúde está atento a esses aspectos".

Ontem (7) o presidente Jair Bolsonaro disse que o Tribunal de Contas da União (TCU) teria emitido relatório apontando que cerca de metade das mortes por covid-19 em 2020 não teriam sido causadas pela doença. Apesar de reconhecer que havia errado ao atribuir a informação à corte, Bolsonaro nesta manhã (8) insistiu que há uma "supernotificação" dos casos de covid-19 no Brasil e relatou ter orientado à Controladoria-Geral da União (CGU) que investigue se governadores inflaram dados a fim de receber mais recursos do governo federal.

Para Queiroga, "a observação é procedente". "Esses recursos são alocados em função dos óbitos e pode haver sim uma supernotificação", disse. Entretanto, o ministro destacou: "essa resposta em relação a óbitos só acontece mais tardiamente". "Um dado mais definitivo só teremos posteriormente para que se tenha o fato com evidência consistente sobre as informações de mortes no Brasil."

Escrito por:

Pedro Caramuru e Daniel Weterman