Publicado 09 de Junho de 2021 - 19h35

Por Camila Tuchlinski

O último capítulo do livro Meninos Malabares - Retratos do Trabalho Infantil no Brasil, intitulado A Pandemia e a Mendicância, conta histórias de crianças e adolescentes que vão em busca de alimentos e doações. "Enquanto se falava sobre a importância do isolamento social, não havia outra alternativa para essas crianças a não ser sair às ruas.

Essa realidade que retratamos de forma sensível e humana, a partir de histórias reais, vem sendo comprovada por estudos e análises de profissionais do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente e de instituições atuantes na área", ressalta a autora Bruna Ribeiro.

Um estudo realizado pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) revelou que o número de crianças em situação de trabalho infantil aumentou 26% entre os meses de maio e julho de 2020 em São Paulo. Uma ironia, pois a ONU declarou 2021 como o Ano Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil. "No ano passado, presenciei um grupo de crianças pedindo dinheiro em um semáforo de uma grande avenida de São Paulo. Algumas usavam máscaras, outras não. Elas me disseram que ganharam de um motorista. Nunca houve o 'fique em casa' para as camadas mais pobres da população brasileira", avalia o fotojornalista Tiago Queiroz. Um levantamento divulgado em abril pelo Unicef, em parceria com o Cenpec Educação, revela que mais de 5 milhões de brasileiros de 6 a 17 anos não tinham acesso à educação no Brasil em novembro de 2020, número semelhante ao que o País apresentava no início dos anos 2000.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Escrito por:

Camila Tuchlinski