Publicado 22 de Novembro de 2021 - 14h20

Por Agência Brasil

Usina de Cana Estivas.
Natal (RN) 20.04.06 - Foto:José Paulo Lacerda

José Paulo Lacerda

Usina de Cana Estivas. Natal (RN) 20.04.06 - Foto:José Paulo Lacerda

A produc?a?o industrial ficou estável em outubro, informou hoje (22) a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Este é o segundo mês consecutivo de estabilidade na produção, após quatro meses de alta. Os dados, que constam do boletim Sondagem Industrial, elaborado pela confederação, mostram que em outubro, o i?ndice de evoluc?a?o da produc?a?o ficou em 50,1 pontos, ante os 50 registrados em setembro.

Os números refletem o desempenho de pequenas, médias e grandes empresas que atuam na indústria em geral, na indústria extrativista e na de transformação. O resultado também mostra que, no mês passado, a utilizac?a?o da capacidade instalada das indústrias caiu um ponto percentual ao registrado em setembro, ficando em 71%. O resultado e? menor do que o registrado em outubro de 2020, quando a utilização da capacidade industrial ficou em 74%.

De acordo com a CNI, a redução é explicada em parte devido a influência da recuperac?a?o da atividade industrial no último trimestre do ano passado e a necessidade de recomposic?a?o de estoques. Por isso, a entidade vê o resultado de 2021 como positivo, pois esta? acima da me?dia dos mesmos meses de 2011 a 2019, quando ficou em 70,4%.

Já o indicador de utilizac?a?o da capacidade instalada efetiva em relac?a?o ao usual registrou 45,4 pontos em outubro. O resultado representa a terceira queda consecutiva do indicador.

“Apesar de estar abaixo da linha diviso?ria de 50 pontos, que indica que a utilizac?a?o da capacidade instalada esta? menor que a usual para o me?s, o i?ndice se encontra acima da me?dia histo?rica de 42,6 pontos. Na comparac?a?o com outubro de 2020, o i?ndice apresenta reduc?a?o de 5,7 pontos”, informou a CNI.

A CNI disse ainda que em outubro, os estoques aumentaram e atingiram o ni?vel planejado pelas empresas. Com isso, o i?ndice de evoluc?a?o do ni?vel de estoques ficou em 50,5 pontos, cinco pontos acima do registrado em outubro de 2020.

“O i?ndice de ni?vel de estoque efetivo em relac?a?o ao planejado registrou 50 pontos em outubro, o que significa que o estoque efetivo atingiu exatamente o ni?vel planejado pelas empresas. O resultado rompeu a seque?ncia de meses nos quais os estoques efetivos estavam abaixo do planejado, o que vinha acontecendo desde dezembro de 2019. Na comparac?a?o com outubro de 2020, momento cri?tico da falta de estoques no ano passado, o i?ndice mostra aumento de 6,7 pontos”, diz o boletim.

Emprego

No que diz respeito ao emprego, a CNI destaca que houve crescimento do emprego industrial, mas em ritmo bem mais moderado que nos meses anteriores. Em outubro, o i?ndice de evoluc?a?o do nu?mero de empregados alcanc?ou 50,4 pontos, o que representa uma queda de 1,7 ponto na comparac?a?o com o me?s anterior.

O i?ndice varia de 0 a 100. Valores acima de 50 indicam que o nu?mero de empregados cresceu na comparac?a?o com o me?s anterior e valores abaixo de 50, que o nu?mero de empregados caiu. Como o i?ndice ficou acima dos 50 pontos, indica que há alta do emprego frente ao me?s anterior, mas que criação de vagas está mais restrita.

Confiança do empresário

O boletim mostra ainda que a confiança do empresariado diminuiu, com recuo na projeção das expectativas para o mês de novembro. A percepção reflete os resultados dos indicadores relacionados à expectativa de demanda, de quantidade exportada, de compras de mate?rias-primas e de nu?mero de empregados apresentando.

O i?ndice de expectativa de demanda recuou 2,7 pontos em outubro, na comparac?a?o com novembro, atingindo 54,4 pontos. O i?ndice de expectativa de exportac?a?o registrou 53 pontos, o que representa uma queda de 0,5 ponto em relac?a?o a novembro.

Ja? o i?ndice de nu?mero de empregados sofreu diminuic?a?o de 1,3 ponto, alcanc?ando 51,2 pontos em novembro. O i?ndice de expectativa de compras de mate?rias-primas foi de 52,9 pontos, o que representa um recuo de 1,9 ponto na comparac?a?o dos meses de outubro e novembro. Esse resultado foi 5,1 pontos menor do que o registrado em novembro do ano anterior, quando o índice ficou em 58 pontos.

Escrito por:

Agência Brasil