Publicado 26 de Maio de 2021 - 15h18

Por Agência Brasil

CPI da Pandemia aprova convocação de nove governadores

CPI da Pandemia aprova convocação de nove governadores

Na primeira reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia dedicada exclusivamente à votação de requerimentos, parlamentares aprovaram nesta quarta-feira (26) convocação de nove governadores para prestar depoimento ao colegiado. Esses governadores foram citados pela Polícia Federal em operações que apuraram desvios em recursos destinados a combater a pandemia da covid-19. Na lista, além dos governadores do Amazonas, Wilson Lima, e do Pará, Helder Barbalho, estão Ibaneis Rocha (Distrito Federal), Mauro Carlesse (Tocantins), Carlos Moisés (Santa Catarina), Antonio Denarium (Roraima), Waldez Góes (Amapá), Marcos Rocha (Rondônia) e Wellington Dias (Piauí).

Os parlamentares também aprovaram requerimento para que seja ouvido  o ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel, investigado e afastado do cargo por suspeitas de integrar organização criminosa que praticou irregularidades na área da saúde do estado. Outro nome aprovado foi o da vice-governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr.

As datas dos depoimentos ainda não foram definidas, e a presença dessas autoridades é incerta já que a Constituição Federal, no Artigo 50, só prevê competência da Câmara dos Deputados e do Senado Federal ou de qualquer de suas comissões “para convocar ministros de Estado ou quaisquer titulares de órgãos diretamente subordinados à Presidência da República, para prestarem, pessoalmente, informações sobre assunto previamente determinado, importando crime de responsabilidade a ausência sem justificação adequada”.

A CPI também aprovou requerimentos de reconvocação do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e do atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga.

Outros nomes

Outro nome aprovado é o do empresário Carlos Wizard. Na quarta-feira (19), em depoimento à CPI, Pazuello disse que convidou Wizard a assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde em junho de 2020, mas o convite foi recusado. Os senadores querem saber se o empresário, ex-dono de uma rede de escola de idiomas, atuou ou atua em algum tipo de aconselhamento paralelo de ações na pandemia. A CPI também aprovou a convocação de Arthur Weintraub, ex-assessor da Presidência da República.

Ainda durante a reunião de hoje, o clima ficou tenso após o vice-presidente do colegiado, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), ter protocolado um requerimento para convocação do presidente Jair Bolsonaro. A apreciação do pedido foi negada pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), que decidiu retirar o requerimento de pauta.

Escrito por:

Agência Brasil