Publicado 29 de Abril de 2021 - 17h29

Por Thaís H. Bento/Correio Popular

Meia Andrigo é o artilheiro do Guarani no Paulistão com 3 gols; jogador deve ter maior sequência no time

Thomaz Marostegan/ Guarani FC

Meia Andrigo é o artilheiro do Guarani no Paulistão com 3 gols; jogador deve ter maior sequência no time

O Guarani volta a campo no domingo e pode respirar um pouco até a partida contra o Novorizontino, marcada para o estádio Brinco de Ouro da Princesa. Isso porque a equipe garantiu a vitória diante do Santo André na segunda-feira (26) e ultrapassou o Santos no Grupo D, entrando para a zona de classificação. Restam apenas três jogos para o início das quartas de final do Paulistão.

O meia Andrigo, autor do gol no último jogo e artilheiro do Bugre, falou em entrevista coletiva sobre a importância desse momento: "A vitória foi muito importante pra gente, porque vínhamos jogando bem e não conseguíamos sair com o resultado positivo, ou empatava ou tava perdendo, e nessa situação a gente precisava ganhar, porque precisava ganhar essa segunda posição e entrar na zona de classificação, que é o que a gente almeja, o que a gente tinha como objetivo, porque sabemos da capacidade que a gente tem e tinha de classificar. O importante é que estamos crescendo jogo a jogo, corrigindo o que foi preciso e conseguimos a vitória na última partida, que colocou a gente numa situação que vamos depender só da gente para conseguir se classificar".

Em 2016, quando Andrigo estava no Internacional, marcou cinco gols em 31 jogos; no Atlético-GO em 2017 foram quatro em 36 partidas; no ano seguinte pelo Ceará balançou as redes seis vezes em 20 jogos e no ano passado foram dois gols em 29 partidas pelo CSA. O jogador chegou no Brinco de Ouro há dois meses e já está vivendo um bom momento no clube.

"Eu cheguei no final de fevereiro aqui, foram alguns dias antes do meu aniversário, e desde o começo eu me senti bem. Mesmo antes de chegar aqui, já com a conversa com Allan Aal, com o Michel, eu já me sentia bem quisto, e isso ajuda na adaptação, tanto ser bem recebido pelos funcionários, por todos do clube, desde o funcionário mais antigo até o mais novo [...]então era um clube que eu tinha certeza que eu ia conseguir ajudar, tenho conseguido ajudar e vou procurar manter isso no máximo. Me dedico muito, treino muito para que eu possa sempre ajudar", contou.

Na próxima partida, o Guarani pode quebrar a má sequência de 10 jogos sem vencer dentro de casa.

"O que falta na verdade são esses detalhes né que a gente vem falando, e no último jogo a gente soube jogar melhor. Tem algumas malandragens que a gente precisa usar, principalmente quando está com o resultado a favor, ficar mais com a posse de bola, matar o jogo quando a gente tiver a oportunidade e isso a gente precisa melhorar. Se a gente fizer isso vamos conseguir sair com as vitórias, seja aqui, seja fora, a gente joga do mesmo jeito", explicou Andrigo sobre o que falta para o Bugre vencer em Campinas.

Dérbi

Após receber o Novorizontino no próximo domingo, o Guarani visita a Ponte Preta na quarta-feira (5) para o Dérbi Campineiro. O jogador comentou sobre poupar jogadores para o clássico. "Não, é como eu falei, a gente precisa pensar jogo a jogo, foco total no Novorizontino, o que vier depois vem depois e a gente precisa somar pontos, ganhar do Novorizontino, não com esse peso de ter que ganhar dentro de casa, mas a gente sabe que somos muito fortes, temos plenas condições de ganhar aqui, então eu penso muito no jogo a jogo".

Contas 2020

Em reunião na terça-feira à noite, o Conselho Deliberativo do Guarani discutiu sobre as contas de 2020 e a maioria dos votos optou por aprovação do balanço com algumas ressalvas. 62 conselheiros participaram: 43 votaram para aprovação com ressalvas, apenas um sem nenhuma observação, 13 pediram reprovação e cinco abstenções.

As observações feitas foram: falta de sistema integrado para gestão; saldo estimado das contas no Tribunal Regional do Trabalho; relação dos valores sobre custo de formação de atletas; números em aberto sobre lista de fornecedores e dívidas a pagar, empréstimos, contingência tributária e dados sobre bens móveis e imóveis.

Escrito por:

Thaís H. Bento/Correio Popular