Publicado 07/04/2021 - 13h39 - Atualizado 07/04/2021 - 13h39

Por


Jonas Donizette, presidente da Frente Nacional de Prefeitos, defendeu, ontem, a autonomia de líderes municipais na tomada de decisões sobre medidas restritivas na pandemia. Em entrevista logo pela manhã à Jovem Pan, ele ressaltou que “não está sendo fácil ser prefeito. Garanto a vocês que nenhum prefeito quer fechar sua cidade. O orgulho está em trazer pessoas, negócios e empresas à cidade”. Para ele, os prefeitos tomam decisões técnicas, escudadas em pareceres.
Desafios de guerra
A corrida eleitoral de 2022 para cargos estaduais e federais começa a propagar seus sons, ainda surdos, pelos ares da concorrida política campineira. Postulantes a legendas de deputados estaduais e federais começam a se enfrentar nos bastidores, preparando-se para uma tomada de posição crítica e até conflitiva. Na maioria dos casos, o alvo dos torpedos é o quarto andar da Prefeitura, onde estão o prefeito e a máquina com poderes para eleger.
"A melhor vacina hoje é a vacina do isolamento", Marco Aurélio Mello, ministro do STF
PLANO VIÁRIO
O Secretário de Transportes de Campinas, Vinícius Issa Lima Riverete, participa, amanhã, de reunião e debate da Comissão de Mobilidade Urbana e Planejamento Viário da Câmara Municipal de Campinas, presidida pelo vereador Otto Alejandro (PL).
***
Há no plano de governo do prefeito Dário Saadi vários projetos de reurbanização de áreas estagnadas no entorno do centro da cidade, remanescentes de obras como a via Aquidaban, com a reconfiguração de paisagens, restauro de imóveis e redefinição da estrutura viária.
PRENDE E ARREBENTA
A Prefeitura de Campinas fechou 239 estabelecimentos comerciais e de serviços e lacrou 67 desde 18 e março, data em que foi adotado o toque de recolher, medida restritiva mais rigorosa para controle e o combate à pandemia.
TROCA INOPORTUNA
O ministro do Supremo Marco Aurélio Mello deu sua opinião sobre a demissão dos comandantes das Forças Armadas: “Não foi algo positivo”.
***
Marco Aurélio considera que ao presidente da República cabe demitir qualquer ministro de Estado, mas pondera que a troca da semana passada “não contribui para a estabilidade do Brasil”.
JÔ SOARES
A abertura de igrejas foi novamente proibida no Supremo Tribunal Federal. O voto de proibição partiu de Gilmar Mendes. O caso agora vai ao plenário da Corte, nesta quarta-feira, por determinação de seu presidente, Luiz Fux. A tendência é pela manutenção dos templos fechados.
JÔ SOARES 2
Essa história de abre-fecha das igrejas lembra o personagem do padre casamenteiro no quadro de Jô Soares na série “Viva o Gordo”: “Eu caso, e, depois, casa, separa; casa, separa! Eu não caso!”.
NEGÓCIO DA CHINA
Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, manteve, ontem, intensas reuniões com fabricantes de vacinas e o embaixador da China.
NEGÓCIO DA CHINA 2
Essa aproximação do governo com áreas de produção de imunizantes, com particpação dos chineses, somente foi possível após a saída de Ernesto Araújo.
***
A indecisão pela troca do chanceler - detrator da China por meio de posts nas redes sociais - retardou diálogos para o aumento na importação de doses de vacinas para o país.
ERRAMOS
A coluna errou ao citar o prefeito de Hortolândia, José Nazareno Zezé Gomes, como presidente da Comissão Especial de Direito Eleitoral da OAB local.

Escrito por: