Publicado 08/04/2021 - 11h13 - Atualizado 08/04/2021 - 11h17

Por Gilson Rei/ Correio Popular

Demonstração de desinfecção foi realizada no Terminal Central

Divulgação

Demonstração de desinfecção foi realizada no Terminal Central

Uma demonstração de como é realizada a desinfecção dos ônibus nestes tempos de pandemia foi realizada ontem no Terminal Central de Campinas no período da manhã. Os usuários do transporte que estavam no local viram de perto os serviços que são feitos diariamente nas garagens das empresas concessionárias. A ação foi realizada pelo Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano e Urbano de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas (SetCamp) e pelas concessionárias de ônibus de Campinas. Ao todo, quatro ônibus foram desinfetados entre 9h e 11h.
Paulo Barddal, diretor de Comunicação do SetCamp, explicou que as medidas de prevenção, adotadas pelas empresas do transporte contra o vírus, são rotineiras desde março do ano passado. "As ações vêm sendo realizadas desde o início da pandemia. Ao mesmo tempo em que afastamos os funcionários pertencentes ao grupo de risco, aprofundamos os cuidados sanitários e incentivamos a utilização de máscaras e demais cuidados recomendados pelas autoridades sanitárias", afirmou.
Barddal lembrou que, além da limpeza e desinfecção rotineira nos ônibus, todos os motoristas usam máscaras de proteção e álcool gel. As operadoras ainda realizam a medição da temperatura corporal dos motoristas, antes que eles iniciem a jornada de trabalho. Além disso, dentro das garagens há uma ampla divulgação das medidas de prevenção da covid-19.
José Silvério Campos, mecânico, gostou de ver como funciona o combate ao coronavírus. "É sempre muito bom saber que existe este trabalho. Dá uma segurança maior dentro do ônibus. Além do uso da máscara, isso é fundamental", comentou. Maria do Socorro Alves, cozinheira, disse que a medida é importante. "Desinfetar o interior dos ônibus ajuda no combate ao vírus", disse.
A desinfecção dos ônibus é feita com um novo equipamento, chamado nebulizador atomizador a frio. Este equipamento é utilizado em ambientes hospitalares e não é nocivo às pessoas. Barddal explicou que o equipamento cria micropartículas que fazem uma completa desinfecção local, conforme se assentam nas superfícies. "Este equipamento passou a ser utilizado nas garagens após a higienização normal realizada nas partes interna e externa dos ônibus", disse.
O produto aplicado é um desinfetante à base de cloreto de benzalcônio, cujo tempo de ação é de até quatro dias. Trata-se de um agente virucida indicado para os vírus do grupo coronavírus e que foi testado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A aplicação é realizada por toda a extensão interna dos veículos, como poltronas, balaústres, encostos de banco, pega-mão, bagageiros, revestimentos laterais, piso e teto.
Ayrton Camargo e Silva, presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), acompanhou a ação e elogiou a iniciativa de fazer esta demonstração pública. "Essa ação é da maior importância para mostrar à população que as concessionárias, assim como o poder público, procuram fazer todo o possível para conter o vírus. É um desafio para todos, e mostrar o que é feito também funciona como uma ação educativa, pois mostra a responsabilidade de cada um neste processo de conter a pandemia", disse.
Transurc pede prioridade na vacinação de motoristas
A prioridade de vacinação contra a covid-19 ao setor de transporte foi solicitada ao prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), nesta semana pela Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). Por meio de uma carta assinada por Belarmino da Ascenção Marta Junior, presidente da Transurc, as concessionárias do transporte coletivo urbano em Campinas - VB Transportes e Turismo; Itajaí Transportes Coletivos; Expresso Campibus; Orcamp Transporte Coletivo; e Coletivos Padova - solicitam ao prefeito prioridade aos trabalhadores do transporte coletivo na campanha municipal de vacinação, pelo caráter essencial do trabalho para a comunidade.
O documento informa alguns motivos para o pedido, iniciando com: "Embora o setor não tenha registrado nenhuma morte entre os motoristas até o momento, e os casos de contaminação sejam relativamente baixos, precisamos considerar o atual cenário. Para isso, fornecemos alguns dados importantes para justificar a solicitação".
Na sequência, as empresas mostram que, atualmente, são transportados cerca de 195 mil usuários por dia útil no sistema de transporte público coletivo operado pelas concessionárias. Relatam também que os usuários são conduzidos por cerca de 1,4 mil motoristas profissionais e que há uma defasagem entre a necessidade imediata e a oferta de vacinas à disposição da população em geral.
A carta continua: "Solicitamos ao prefeito, encarecidamente, prioridade aos profissionais do transporte, pois, como os números acima indicam, existe uma alta exposição da categoria ao risco de contaminação. Observamos, ainda, que os veículos das concessionárias são limpos diariamente e devidamente higienizados, dentro dos atuais padrões exigidos para evitar o contágio; tanto de nossos usuários, quanto de nossos profissionais".

Escrito por:

Gilson Rei/ Correio Popular