Publicado 11/03/2021 - 20h03 - Atualizado 11/03/2021 - 20h06

Por Lucas Rossafa/ Correio Popular

Time mostrou disposição e poder de reação na partida contra o Gama; vitória acalma bastidores do clube

Thiago Toledo/ Ponte Press

Time mostrou disposição e poder de reação na partida contra o Gama; vitória acalma bastidores do clube

Mesmo com dificuldades, a Ponte Preta confirmou o favoritismo e carimbou classificação à segunda fase da Copa do Brasil ao vencer o Gama por 2 a 1, de virada, ontem à tarde, em Luziânia.
Daniel Alagoano, no primeiro tempo, anotou a favor do Gama, enquanto Apodi, de cabeça, e Thalles, na etapa complementar, remontaram o placar, suficiente para Macaca seguir viva no mata-mata e embolsar premiação de R$ 675 mil.
Na etapa seguinte, a Alvinegra mede forças com Marília ou Criciúma, que se enfrentam no interior paulista, na próxima quarta-feira, na condição de visitante, mas sem a vantagem do empate, com R$ 1,7 milhão em jogo.
Com a Copa do Brasil em standby, a Macaca volta o foco ao Campeonato Paulista, pelo qual entra em campo no sábado, 13, diante do Botafogo-SP, em Ribeirão Preto, às 19h.
[INTERTITULO]O jogo
[/INTERTITULO]A Ponte Preta iniciou a partida com superioridade e intensidade e, por pouco, não tirou o zero do placar logo com menos de um minuto, no primeiro lance, em ataque produzido por Moisés.
O cartão de visitas, entretanto, não passou de uma chegada esporádica, o que confirmou a deficiência coletiva no que diz respeito à produção ofensiva.
Com substituição repentina de Renan Mota por problema na coxa direita, a Alvinegra colecionou passes errados e pecou pela falta de qualidade na armação.
Sem distribuição de jogadas, velocidade na transição e atacantes apagados, casos de Moisés, Pedrinho e João Veras, a Ponte não proporcionou perigo ao goleiro alviverde, Matheus Damasceno.
O adversário, por sua vez, em estratégia mais reativa, achou o gol logo no primeiro arremate ao alvo defendido por Ygor Vinhas, com Daniel Alagoano, após boa toques entre Uéslei e Caíque.
Apesar de posse de bola superior, os comandados de Fábio Moreno trocaram muitos passes no campo defensivo, sem agredir o clube mandante.
No retorno do intervalo, a Ponte Preta, um pouco mais eficiente, esboçou uma pressão nos 15 primeiros minutos e surtiu efeito.
Decisivo, Apodi, de cabeça, como típico centroavante dentro da área, completou levantamento de Pedrinho e igualou o placar.
Na reta final, em contra-ataque puxado por Papa Faye, Thalles, da entrada da área, virou o jogo e selou a classificação pontepretana.
Atacante se desculpa por polêmica
O atacante João Veras falou publicamente pela primeira vez após envolver-se em polêmica, no meio de janeiro, por presença em uma casa noturna de Campinas.
O camisa nove descumpriu o protocolo sanitário no combate à Covid-19, durante reta final da Série B do Campeonato Brasileiro, junto do ex-volante Danrley, e foi afastado dos treinamentos pela diretoria executiva por duas semanas.

"Eu errei. Sem dúvidas nenhuma, foi um episódio bem difícil para mim. Eu errei. Fui punido pelo clube. Conversaram muito comigo e fui punido. É um aviso também para todos. Temos que se cuidar. Estamos no meio de uma pandemia. Com certeza, isso não vai se repetir. Estou bem mais focado", declarou.

Escrito por:

Lucas Rossafa/ Correio Popular