Publicado 31/03/2021 - 13h57 - Atualizado 31/03/2021 - 13h57

Por Luiz Roberto Saviani Rey/ Correio Popular


A crise aberta com a ala militar, nesta terca-feira, com o pedido de demissão coletivo dos três comandantes das Forças Armadas, traz uma mensagem clara não apenas ao presidente Jair Bolsonaro, que chama o Exército de “seu”, mas a todos quantos imaginam o país mergulhado em uma ditadura férrea, sob o tacão militar. Em todas as manifestações nas casernas, a voz é uníssona em afirmar que as Forças Armadas não são instituições do poder, mas de Estado, e que elas não servirão a golpismos.
Parceiros da sociedade
Desde Duque de Caxias e as viórias na Guerra do Paraguai, quando o Brasil se fortaleceu como Nação, o Exército cumpre missão constitucional secular. A experiência de 1964 não contamina as novas gerações do generalato, segundo fonte militar. Com missões pacificadoras, como em Suez e no Haiti, as Forças Armadas trabalham há décadas o conceito de aproximação do povo. Comandantes e comandados afirmam-se “parceiros da sociedade”.
"Não há nenhuma espécie de golpe", deputado Major Vitor Hugo, líder do PSL
PLANO DE METAS
O plano de metas da administração Dário Saadi entre os exercícios de 2021 e 2024 encontra-se na Câmara Municipal para análise e votação.
PLANO DE METAS 2
São 58 ações que Saadi pretende desenvolver até o final do mandato, entre elas a implantação do Hospital “Mário Gattinho”, a implantação do Poupa Tempo da Saúde; conclusão da reforma do Centro de Convivência Cultural e a implantação do período integral nas escolas de ensino fundamental.
***
Entre outras ações e obras, Saadi pretende implantar o reservatório de água “Nosso Cantareira”, com autonomia de 70 dias de abastecimento, a implantação do Parque Tecnológico Municipal e a construção do Instituto da Mulher. Está no plano a reforma do Mercado Municipal.
ADEUS, “SEU ANTÔNIO”
Os meios empresariais, administrativos e políticos de Campinas e região sentiram profundamente o passamento do empresário Antônio Caprioli, personalidade histórica e com vasta contribuição para o desenvolvimento dos transportes.
***
Pai da diretora de Turismo da Prefeitura de Campinas, Alessandra Caprioli, teve tão relevante papel no setor, que mereceu homenagem da Azul Linhas Aéreas, com seu nome batizando uma aeronave.
PLACEBO
Moção de apelo para que o Conselho Federal de Medicina adote posição sobre a prescrição indevida de medicamentos para o tratamento precoce da Covid-19 foi protocolada na Câmara Municipal de Campinas pelo vereador Paulo Bufalo (PSOL).
PULA CORDA
Conforme adiantou a coluna ontem, a Prefeitura de Campinas não antecipará a volta às aulas presenciais nas escolas do Município. Dário Saadi decidiu pular corda sobre o decreto baixado pelo governador João Doria, classificando a Educação como atividade essencial.
PULA CORDA 2
Na segunda, assessores de Doria deram um fecha sobre as prefeituras interioranas que mantêm aulas remotas, na tentativa de reverter a situação, a despeito da pandemia.
CAIXINHA
Na Câmara Federal, os deputados elevaram em 170% os valores de reembolso de gastos e despesas com tratamento de saúde de vossas excelências.
MILANO-BRASILEIRO
Morreu ontem Contardo Calligaris, psicanalista italiano que assinou espaço no primeiro caderno da Folha de S. Paulo desde 1999, retratando a psicanálise, o cinema e a crítica política e social.

Escrito por:

Luiz Roberto Saviani Rey/ Correio Popular