Publicado 10/02/2021 - 12h54 - Atualizado 10/02/2021 - 15h39

Por Raquel Valli/ Correio Popular

Vestibulandos durante o segundo dia de provas da segunda fase do vestibular da Unicamp: primeira chamada ser? em 10 de mar?o

Kam? Ribeiro/ Correio Popular

Vestibulandos durante o segundo dia de provas da segunda fase do vestibular da Unicamp: primeira chamada ser? em 10 de mar?o

A segunda fase do vestibular da Unicamp, edição 2021, encerrada ontem, cravou o menor índice de abstenção dos últimos dez anos do certame. Na segunda-feira, primeiro dia de exame, a porcentagem de faltosos foi de 8,3%. Ontem, segundo e último dia, o índice foi de 8,8%. A última década teve em média 11% de candidatos faltosos. Os dados são da Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), que informou ainda que compareceram 14.185 candidatos no segundo dia, de um total de 15.470 aprovados para a etapa.
A expectativa do professor José Alves de Freitas Neto, diretor da Comvest, manifestada na segunda-feira, foi confirmada. Ele havia previsto que a abstenção do segundo dia ficaria próxima da registrada no primeiro dia, possivelmente "com uma variação de décimos". A ocorrência de um número maior de faltosos no segundo dia, segundo ele, é relativamente comum porque alguns vestibulandos que acreditam que não tiveram bom desempenho no primeiro dia acabam desistindo do processo.
Ainda de acordo com a comissão, não houve registro de qualquer incidente relacionado aos protocolos sanitários adotados como prevenção à covid-19 nas 22 cidades em que o exame foi aplicado. O professor Sílvio Roberto Consonni, que participou ontem da aplicação prova em Campinas, corroborou a informação. "Nós observamos o compromisso de todos, colaboradores do vestibular e candidatos, em seguir as normas de segurança e orientações sanitárias para que pudéssemos aplicar a prova de forma segura", analisou.
"O segundo dia da 2ª Fase da Unicamp nos surpreendeu porque não foi uma prova trivial. Esperávamos uma prova muito semelhante a do primeiro dia, mais condizente a esse ano pandêmico. A Unicamp havia informado a comunidade que faria uma prova mais tranquila. Mas, a do segundo dia foi mais trabalhosa, exigente, exigindo um candidato com capacidade crítica de leitura, interpretação, perfil buscado pela Unicamp", afirma o professor Daniel Cecílio, diretor do Curso Pré-Vestibular Oficina do Estudante.
De mesma opinião é a vestibulanda Yasmin de Oliveira, de 18 anos, que prestou geografia. "Falando de segurança em relação à covid, estava tudo ok: álcool, todos de máscara, distanciamento, tudo certo", disse. Sobre as questões, a aluna achou o segundo dia mais difícil que o primeiro. "Tive mais dificuldade em história e matemática. O conteúdo de história necessitava de uma base boa do Ensino Médio, mas a prova foi coerente, abordando temas sociais importantes, como o feminismo, a escravatura e as redes sociais", analisou.
Saiba Mais
A primeira chamada do vestibular 2021 da Unicamp será divulgada em 10 de março. Os convocados deverão efetivar a matrícula online no dia 15 de março, pela página eletrônica da Comvest. Estão previstas até sete chamadas, cujas datas constam do calendário do Vestibular Unicamp 2021, disponível no site da comissão. São oferecidas 3.237 vagas em 69 cursos de graduação da universidade. As Provas de Habilidades Específicas para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança serão aplicadas nos dias 11 e 12 de fevereiro de 2021, em Campinas.

Escrito por:

Raquel Valli/ Correio Popular