Publicado 16/01/2021 - 10h28 - Atualizado // - h

Por Maria Teresa Costa

Taxa de ocupa??o ? alta em Amparo, Artur Nogueira, Paul?nia , Valinhos e Itatiba (acima), que chega a 100%

Importação

Taxa de ocupa??o ? alta em Amparo, Artur Nogueira, Paul?nia , Valinhos e Itatiba (acima), que chega a 100%

O governo do Estado colocou ontem cinco cidades da região de saúde de Campinas em alerta entre os 43 municípios que estão enfrentando taxa de ocupação de leitos de UTI para pacientes graves de Covid-19 acima de 80%. O governo do Estado pediu aos prefeitos que determinem restrição total das atividades não essenciais para aliviar a pressão sobre os hospitais públicos e particulares. Na região de saúde de Campinas, segundo o governo, cinco cidades estão em alerta: Amparo (98,2% de leitos de UTI ocupados), Artur Nogueira (100%), Paulínia (82,4%), Valinhos (95,3%) e Itatiba (100%).
Amparo, que vive situação dramática com falta de leitos para internar seus doentes graves com Covid-19, decidiu multar em R$ 10 mil quem alugar chácaras para temporada e veraneio durante a pandemia. O decreto é válido até dia 24, período em que multas de R$ 5 mil serão aplicadas também para quem fizer a locação de chácaras na cidade.
O novo decreto proíbe aglomerações em imóveis residenciais de pessoas que não pertencem ao núcleo familiar, ou seja, festas, comemorações, reuniões entre outros eventos que causem aglomeração e não ocorram em espaços locados para tal finalidade. Nesse caso, a multa é de R$ 2 mil para o proprietário ou locatário.
Desde ontem, e nos dois próximos finais de semana, a cidade adota critérios da fase vermelha, com fechamento de atividades não essenciais. Entre os dias 18 e 21, a cidade entra na fase laranja.
Valinhos fará reunião da Secretaria de Saúde na segunda-feira com a Santa Casa para ver a possibilidade de aumento de leitos de UTIs – ontem havia 14 pacientes internados, sendo quatro com Covid e dez com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. No Hospital Galileo, dez estavam na UTI. A Prefeitura informou que está avaliando a situação para ampliar leitos e também para eventuais medidas restritivas na cidade.
Paulínia contestou a taxa de ocupação de UTIs da cidade, apresentada pelo Estado. Segundo o Comitê de Prevenção e Enfrentamento à Covid-19, a ocupação da Unidade de Terapia Intensiva exclusiva para Covid-19 do Hospital Municipal de Paulínia é de 72,2%, mesmo número de quinta-feira, data que o Governo Estadual usou como base.
Já Artur Nogueira não oferece serviço de terapia intensiva, mas está buscando criar dois leitos para pacientes na rede pública de atendimento. Há negociação com a regional de saúde, segundo a Prefeitura, para que dois leitos sejam implantados no Hospital Samaritano. Itatiba possui 13 leitos exclusivos de UTI e segundo a última atualização divulgada pela Prefeitura, sete estavam ocupados com pacientes confirmados com a doença e seis com suspeita de Covid.Itatiba informou que vai comentar na segunda-feira.
O governador João Doria disse ontem, ao anunciar a reclassificação das regiões no Plano SP, que há uma indicação clara que a pandemia acentuou essa segunda onda no. “Nós temos que tomar medidas de cautela e prevenção para proteger vidas. É muito importante que a população tenha consciência disto. A situação vem se agravando a cada semana”, disse.
O Centro de Contingência também recomendou que todos os 645 municípios paulistas endureçam regras para reuniões de trabalho em locais fechados, como limite máximo de 25 pessoas e distanciamento mínimo de 1,5 metro. Eventos sociais e familiares também devem ser evitados devido ao recrudescimento da pandemia. O uso de máscaras em todos locais de acesso público é obrigatório.

Escrito por:

Maria Teresa Costa