Publicado 13 de Janeiro de 2021 - 7h57

Por Henrique Hein

Testes positivos de Covid-19 explodem em Campinas

Matheus Pereira/AAN

Testes positivos de Covid-19 explodem em Campinas

O número de testes positivados do novo coronavírus aumentou em Campinas após a passagem das festas de final de ano. Dados obtidos pela reportagem do Correio Popular mostram que a porcentagem de casos confirmados mais que dobrou em alguns dos principais laboratórios particulares da cidade, entre os meses de dezembro e janeiro. No instituto Ramos Medicina Diagnóstica, por exemplo, a procura pela testagem não só cresceu de maneira significativa nas últimas duas semanas, como o resultado dos exames atingiu a taxa mais alta de positivos desde o início da pandemia.

Fábio Tambascia, médico patologista da instituição, explica que em dezembro cerca de 16% dos testes realizados pelo laboratório apresentaram resultados positivados e que nos primeiros dez dias de janeiro o índice passou para 35%. Foram 2.321 testes aplicados, dos quais mais de 800 detectam a presença do vírus. "Eu não tenho dúvida de que esse aumento está diretamente relacionado as aglomerações que foram feitas nas festas de final de ano", disse.

A impressão dele é a mesma de Alex Galoro, médico patologista e gestor do Grupo Sabin na região de Campinas, no qual aproximadamente 25% dos exames realizados em janeiro tiveram como resultado final: o positivo. Em dezembro, esse índice era de 18%. "A principal variável que tivemos nesse período foram as festas de final de ano, quando houve aglomerações e um claro relaxamento das recomendações de isolamento. São fatos correlacionáveis, sim!", afirmou Galoro.

Ainda de acordo com Tambascia, uma das características que tem chamado a atenção do laboratório Ramos é a quantidade de adultos, na faixa etária entre 30 e 40 anos, que estão sendo submetidos à testagem nos últimos dias. Para ele, esse dado ajuda a elucidar a interpretação de que a relação do aumento de casos positivados nos testes está diretamente ligada às aglomerações praticadas durante as celebrações do Natal e Ano Novo. "Não é um perfil de molecada de 15 anos. É um perfil de pessoas um pouco mais velhas, geralmente formado por casais, que se descuidaram e foram curtir as festas em contato com outras pessoas", disse ele.

Na avaliação de Renata Moreira, coordenadora de biomedicina da Faculdade Anhanguera, a tendência, após as festas de fim de ano, será um começo de 2021 pior do que o que foi visto na maior parte do ano passado. "É fato que esse aumento exponencial tem relação com as viagens de fim de ano e com a imprudência de medidas restritivas.”

Susto

O profissional de relações públicas, Rafael Bressane, de 35 anos, foi um dos campineiros que precisou fazer um exame após as festas de final de ano. Morador do bairro Ponte Preta, ele realizou o teste após sua mãe testar positivo para doença. "Tanto eu quanto minha família vinhamos mantendo o isolamento social o ano inteiro, mas no Natal recebemos a visita da minha mãe. Ela também vinha mantendo o isolamento, mas, como soube que ia ver o neto dela, decidiu ir ao shopping no dia 23 para comprar um presente para ele. Acreditamos que ela tenha se contaminado por lá e tenha trazido a doença para dentro de casa", comentou.

Bressane conta que tanto ele quanto sua mãe começaram a apresentar os sintomas da Covid-19 após a passagem do Natal e que ambos testaram positivo para doença. Sua esposa e seu filho não apresentaram os sintomas. O profissional de relações públicas explicou ainda que precisou fazer tratamento, a base de remédios para tentar conter o avanço do vírus.

Escrito por:

Henrique Hein