Publicado 17/01/2021 - 06h00 - Atualizado 15/01/2021 - 15h47

Por Do Correio

Troféus do Campeão campineiro

Reprodução

Troféus do Campeão campineiro

JUDÔ: UM CAMPINEIRO VENCE NO JAPÃO
O Brasil e o Japão, países tradicionalmente amigos, contam com mais um liame a uni-los: um embaixador da juventude atlética brasileira a discorrer lá fora, em Tóquio, Osaka, Waseda e outros locais sôbre a realidade nacional. Por outro lado, do Japão, onde estudou mais de oito mêses, aqui temos de novo em nossa cidade êste rapaz forte e bem educado ODAIR BORGES, a nos relatar as maravilhas do esfôrço e da técnica do País do Sol Nascente, e a gentileza do povo que o acolheu tão bem. O ponto alto da estadia de Odair Borges no Japão é este: o intercâmbio de amizade, cultura e experiências. Para lá levou êste jovem campineiro a mensagem da boa vontade, o exemplo de uma mocidade sadia e harmoniosa, e ainda fotos, slides, notícias do vibrante evoluir de nosso País.
 
O EMBAIXADOR BUCHER JÁ SE ACHA EM SUA CASA
Após 40 dias em poder dos sequestradores, o embaixador Giovanni Enrico Bucher foi libertado ontem, chegando em sua residencia na rua Campo Belo, nas Laranjeiras, às 6,40 horas. Estava acompanhado do conselheiro sulco William Roch que, avisado, encontrou-se com o diplomata às 6,15 horas, segundo informações da embaixada da Suiça. Ao chegar, o embaixador Bucher fez rápidas declarações à imprensa, manifestando seu agradecimento ao governo brasileiro pela sua libertação, obtida em troca de 70 terroristas embarcados para o Chile. Disse lamentar a morte do agente federal Helio Carvalho de Araujo durante o seu sequestro, ao qual muito estimava.
 
LAIRD CONFIRMA QUE OS EUA DEIXARÃO O VIETNÃ
O Secretário norte-americano de Defesa, Malvin Laird, desmentiu aqui sexta-feira ao regressar de Saigon, os rumores de uma próxima substituição do General Creigton Abrms, Comandante Chefe das Fôrças estadunidenses no Vietnã. Laird, que lembrou a situação no Cambodja, admitiu que o govêrno não passa atualmente por um período crítico e declarou-se impressionado com os progressos de Exército cambodjano que, em nove meses passou de 30.000 para 200.000 homens. O Secretário de Estado norte-americano manifestou ainda sua convicção de que os Estados Unidos colocariam término a sua intervenção no Vietnã.

Escrito por:

Do Correio