Publicado 13/01/2021 - 17h50 - Atualizado 13/01/2021 - 17h50

Por AFP


A tigresa branca Neve, que nasceu no final de dezembro no Zoológico Nacional da Nicarágua, morreu nesta quarta-feira (13). O soro e o afeto humano não foram o suficiente para seus problemas respiratórios e a falta de amor de sua mãe.

"Amigos, é com muita tristeza que quero informar que morreu a trigresinha branca que nasceu em 29 de dezembro do ano passado", anunciou emocionado o diretor do Zoológico, o veterinário Eduardo Sacasa, em um vídeo que divulgou nas redes.

"Ela nasceu meio doente, resfriada; começamos a lutar com antibióticos, ela melhorou um pouco, mas neste último dia ela acordou um pouco mais para baixo e tivemos que dar soro, estávamos colocando oxigênio", explica o veterinário.

"Já de manhã cedo vimos que ela estava morrendo", acrescentou Sacasa. Sua esposa, Marina Argüello, que ajuda a administrar o centro, passou a manhã inteira segurando Neve nos braços enquanto administravam oxigênio.

Neve nasceu pesando 954 gramas e era filha de dois tigres de Bengala com pelos amarelos e pretos. Sua mãe, uma tigresa de 272 quilos, resgatada após ser abandonada por um circo, se recusou a criá-la.

Para evitar que a pequena tigresa fosse machucada pela mãe, Sacasa e sua esposa cuidaram dela.

O tigre branco é um espécie de tigre (Panthera tigris) mas com uma condição genética que altera a cor da pelagem. O tigre está listado como espécie em extinção na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

Sua morte "é uma grande dor para Marina e para mim, isso nos dói muito porque nos doamos com muito carinho, amor", disse Sacasa, e depois se despediu de Neve com um beijo.

bm/mav/ll/ap

Escrito por:

AFP